Building the future by doing more together

INSIDER - Impacto duma espécie invasora sob cenários de alterações climáticas globais e de contaminação antropogénica em cadeias tróficas costeiras
Investigador Responsável - Maria Benedicta Agostinho Donas-Bôtto Bordalo e Sá
Programa - Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização (02/SAICT/2017)
Período de Execução - 2018-07-26 - 2021-07-25 (36 Meses)
Entidade Financiadora - FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia, within the PT2020 Partnership Agreement and Compete 2020 co-funded by the FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional
Financiamento para o CESAM - 239893 €
Financiamento Total - 239893 €
Instituicão Proponente - Universidade de Aveiro


As áreas costeiras estão constantemente a ser influenciadas por alterações globais (destruição de habitats, poluição, mudanças climáticas, doenças, espécies invasoras) que forçam as populações naturais a adaptarem-se a novas condições ambientais. A Diretiva-Quadro Estratégia Marinha Europeia (MSFD, 2008/56/CE), Estratégia de Biodiversidade (CE, 2012) e Regulamento sobre Espécies Exóticas Invasoras (CE, 2014) reconhecem o estabelecimento e disseminação de Espécies Não Indígenas como uma das principais ameaças à biodiversidade europeia e à saúde dos ecossistemas. Uma vez que podem alterar as interações bióticas, monitorizar a abundância e o estado das espécies invasoras e seu impacto ambiental nos ecossistemas nativos é fundamental para alcançar as metas do MSFD até 2020 e necessita ser um requisito para a gestão da conservação marinha. Em cenários de alterações climáticas e outros componentes de alterações globais, como a poluição antropogénica, as espécies invasoras podem ter efeitos inesperados sobre os ecossistemas marinhos. Esses desafios exigem uma abordagem mais integrada, concentrando-se na avaliação mecanicista desses efeitos combinados ao longo das cadeias tróficas costeiras. É vital avaliar essas pressões, uma vez que as mesmas tendem a aumentar num futuro próximo, podendo ser aditivas, sinergísticas ou antagónicas. Incluir ecologia de comunidades é vital para a compreensão e previsão de múltiplos fatores de stress nos ecossistemas naturais. Tais estudos podem analisar se esses fatores, ao agir isoladamente ou combinados, podem não apenas alterar diretamente a abundância, o comportamento e a fisiologia das espécies, mas também indiretamente as interações entre espécies e o funcionamento do ecossistema. Para o efeito, testes multifatoriais irão ser desenvolvidos usando espécies chave costeiras representando níveis tróficos distintos e tendo em consideração diferentes níveis de organização biológica. Desta forma, este projeto fornecerá bases científicas avançadas para uma avaliação integradora cobrindo a interação de vários stressores que podem influenciar a resposta das espécies num cenário de alterações globais, o que se torna vital para estratégias eficazes de conservação ambiental.


 




Financiamento do CESAM: