Building the future by doing more together

PREVINE - Abordagem inovadora para PREVenção de parasitoses e INfecções que afectam os peixEs de aquicultura
Investigador Responsável - Amparo Faustino (QOPNA)
Investigador responsável no CESAM - Adelaide Almeida
Programa - Projetos de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico (02/SAICT/2017)
Período de Execução - 2018-11-02 - 2021-10-01 (35 Meses)
Entidade Financiadora - FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Financiamento para o CESAM - 65000 €
Financiamento Total - 200000 €
Instituicão Proponente - Universidade de Aveiro
Instituições Participantes
Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA)

Actualmente, a aquicultura contribui em mais de 40% para a produção total de peixe e o mercado destes produtos deverá crescer de forma significativa nos próximos anos. Estima-se que as doenças ou surtos epidemiológicos que surgem nos estabelecimentos aquícolas são responsáveis por cerca de 20% dos prejuízos causados devidos a quebras de produção, podendo representar um perigo real para os consumidores e para o ambiente em virtude da contaminação dos recursos hídricos envolvidos. A principal causa de surtos epidemiológicos e consequentes perdas nas explorações aquícolas é a presença nos seus tanques de agentes patogénicos potencialmente perigosos e de parasitas de peixes. Para fazer face ao desafio de uma indústria aquicultura portuguesa ambientalmente e financeiramente sustentável o PREVINE, propõe atuar na minimização das ameaças resultantes da presença de diferentes agentes patogénicos através de uma abordagem inovadora amiga do ambiente e eficaz em termos de custos. A estratégia proposta para a desinfecção da água das explorações aquícolas evita qualquer contato direto entre peixe e o agente químico activado por luz visível e o peixe; e simultaneamente sem que este seja libertado no ambiente. Esta estratégia só possível pela associação do agente químico com uma matriz sólida compatível com água e facilmente recuperável.
Os objectivos do PREVINE são: (a) prevenir que as principais ameaças ao bem-estar dos peixes das explorações aquícolas ocorram com consequente diminuição da qualidade e segurança da produção alimentar; (b) desinfetar a água dos tanques das explorações aquícolas através de uma técnica fotobiológica inovadora; (c) estabelecer um protocolo de desinfecção de acção preventiva eficaz contra as parasitoses e as infecções bacterianas / fúngicas associadas; (d) minimizar os riscos de toxicidade para os peixes e para o ambiente; (e) desenvolver um protocolo de desinfecção que permita numa primeira fase o desenvolvimento tecnológico que vise implementar a foto-descontaminação da água das explorações aquícolas a baixo custo e com reduzido impacto ambiental. O projecto PREVINE centrar-se-á fundamentalmente nos agentes patogénicos dos principais peixes cultivados nas explorações aquícolas da região de Aveiro, nomeadamente, do robalo. Os agentes patogénicos-alvo serão as bactérias Vibrio, Photobacterium damselae subsp. Piscicida e Streptococcus sp.; o fungo Saprolegnia, o dinoflagelado Amyloodinium ocellatum e as larvas de Isopoda Paragnathia formica, larvas de Praniza. A crescente preocupação a nível da saúde pública com a introdução nos hábitos (alimentares) de consumo de peixe cru levou-nos ainda a considerar a inclusão do nemátodo Anisakis enquanto agente zoonótico que infecta peixes e invertebrados marinhos, incluindo crustáceos e moluscos mas que desencadeia uma resposta alérgica imune no Homem.


Membros neste projecto
Adelaide Almeida
Coordenadora
Angela Cunha
Investigadora

Financiamento do CESAM: