Building the future by doing more together

WasteZero-PCBs - Uma tecnologia sustentável e praticamente não geradora de resíduos para reciclagem de placas de circuito impresso
Investigador Responsável - Helena Soares
Investigador responsável no CESAM - Ana Cláudia Dias
Programa - Projetos de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico (02/SAICT/2017)
Período de Execução - 2018-07-25 - 2021-07-24 (36 Meses)
Entidade Financiadora - FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Financiamento para o CESAM - 14312 €
Financiamento Total - 238958 €
Instituicão Proponente - Faculdade de Engenharia, Universidade do Porto (FEUP)
Instituições Participantes
Universidade de Aveiro


Resíduos de placas de circuito impresso (PCIs) representam cerca de 3% do total de cerca de 50Mt/ano de resíduos eletrónicos gerados. Estes são constituídos por uma mistura heterogênea de metais, cerâmicos e plásticos. Destas fracções, a recuperação da fração metálica (em particular Au) constitue a força motriz para reciclagem de PCIs. Uma vez que os PCIs contêm muitos metais, inclusive preciosos (MPs), em concentrações superiores às existentes nos minérios, eles constituem uma fonte secundária importante. Mas, devido à sua composição heterogênea e presença de materiais perigosos, a sua reciclagem adequada é um desafio. Para além do setor informal de tratamento de PCIs, que ocorre em diversos países, nos países desenvolvidos, o tratamento de resíduos de PCBs é efetuado através da reciclagem mecânica ou em fundições (via pirometalúrgica seguida de refinação hidrometalúrgica). Embora os métodos de reciclagem física sejam simples e ambientalmente amigáveis, ocorre a formação de poeiras e perda de MPs (cerca de 40%). Embora as fundições ofereçam a vantagem de tratar qualquer forma de sucata, os processos pirometalúrgicos apresentam inconvenientes importantes [perda de MPs, geração de emissões perigosas (dioxinas e poeiras com metais)]. Uma vez que os custos de energia têm aumentado assim como legislação ambiental mais apertada que obriga a avultados investimentos para as fundições, as vias hidrometalúrgicas para tratamento de poeiras são complexas e geram lamas, todos estes factos evidenciam a necessidade de desenvolver infra-estruturas metalúrgicas alternativas em pequena escala. Em oposição à pirometaluriga, a hidrometaluriga permite processar produtos complexos com baixas concentrações originando produtos finais com elevadas taxas de recuperação de metais à custa de baixo consumo energético e quase inexistência de emissões gasosas. Uma vez que o Au é a principal força econômica para a reciclagem de PCIs, urge a necessidade de desenvolver estratégias hidrometalúrgicas mais simples eficientes relativamente as de elevada complexidade atualmente disponiveis. Recentemente, desenvolvemos um processo hidrometalúrgico simples para reciclagem de Cu a partir de resíduos de PCIs com alto rendimento e pureza. Estes resultados são encorajadores. Além disso, os nossos resultados preliminares subsequentes abrem a possibilidade de responder positivamente a este desafio. Com base nesse fato e no conhecimento multidisciplinar da equipa, o objetivo principal deste projeto é desenvolver um processo metalúrgico sustentável, flexível (que se adapte a diferentes concentrações de metais sem comprometer a pureza dos produtos finais) e com menor pegada de carbono para a valorização de todas as fracções (nomeadamente as de maior valor acrescentado) dos PCIs minimizando a produção de resíduos.


Membros neste projecto
Ana Cláudia Dias
Coordenadora

Financiamento do CESAM: