Building the future by doing more together

ECO-R-Pharmplast - Ecotoxicidade de combinações realistas de fármacos de uso humano e microplásticos em ecossistemas marinhos
Investigador Responsável - Bruno Nunes
Programa - Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização (02/SAICT/2017)
Período de Execução - 2018-01-01 - 2020-12-31 (36 Meses)
Entidade Financiadora - FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia, within the PT2020 Partnership Agreement and Compete 2020 co-funded by the FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional
Financiamento para o CESAM - 225897 €
Financiamento Total - 225897 €
Instituicão Proponente - Universidade de Aveiro


A contaminação por drogas farmacêuticas e, mais recentemente, por microplásticos emergiu nas últimas décadas e é hoje em dia considerada uma ameaça séria aos ecossistemas marinhos. Os compostos farmacêuticos são continuamente libertados para o ambiente aquático e podem colocar desafios significativos para a biota exposta. Os plásticos são igualmente dispersos especialmente no ambiente marinho, onde são reduzidos a partículas de pequenas dimensões, contaminando os organismos. No entanto, os microplásticos podem ser responsáveis por um efeito indireto; através da adsorção de um elevado número de compostos hidrofóbicos, nomeadamente drogas farmacêuticas, os microplásticos atuam como vetores preferenciais de dispersão desses compostos. Consequentemente, as espécies marinhas que são utilizadas pelos humanos como alimentos são vectores para esses contaminantes. Apesar deste cenário global, o número de estudos que tratam estas formas específicos de poluição são ainda hoje escassos. Este projeto pretende estudar a contaminação por drogas específicas e por microplásticos, e por combinações realistas dos dois tipos de poluentes. De modo a atingir este objectivo, iremos estudar os efeitos toxicológicos das drogas ciprofloxacina, diazepam, paracetamol, cafeína, e carbamazepina ao nível bioquímico (neuroendócrino, do metabolismo, respiração, defesa antioxidante e dano oxidativo), reservas lipídicas e sua gestão, bioacumulação, genotoxicidade, resposta transcriptómica e comportamento de algumas espécies-chave da zona de Aveiro, nomeadamente o poliqueta Hediste diversicolor, o molusco Mytillus galloprovincialis, o crustáceo Carcinua maenas, e o peixe Anguilla anguilla. Será asim obtida uma imagem genérica dos efeitos da contaminação nestas espécies, que será útli para a gestão de instalações de aquacultura, estabelecidas em áreas especificamente impactadas como a na Ria de Aveiro. Adicionalmete, tecidos destas espécies serão avaliados para o seu potencial em servirem para o estabelecimento de pinhas celulares nas quais sejam possíveis de estabelecer métodos in vitro de avaliação toxicológica, especialmente com base em métodos de citometria de fluxo de elevado rendimento. Estes métodos serão posteriormente validados pela exposição dos organismos/linhas celulares a efluentes reais provenientes de uma estação de tratamento de águas residuais. A validação estas metodologias irá permitir a sua proposta no sentido da sua integração em baterias de testes desenhados para monitorizar e controlar a qualidade do processo de tratamento da água, em tempo real, e recorrendo a endpoints relevantes. OP desenvolvimento e validação destes métodos destina-se a estabelecer métodos in vitro prontos a usar, com base em células obtida a partir dos organismos referidos, que poderão ser no future propostos à indústria para um processo de scale-up e comercialização.




Membros neste projecto
Amadeu Soares
Investigador
Rosa L. Freitas
Investigadora

Financiamento do CESAM: