Building the future by doing more together

SOPRO - Perfis químicos e toxicológicos de fontes de matéria particulada em atmosfera urbana
Investigador Responsável - Célia Alves
Programa - Programa Operacional Regional do Centro (02/SAICT/2017)
Período de Execução - 2018-07-01 - 2021-06-30 (36 Meses)
Entidade Financiadora - FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia, within the PT2020 Partnership Agreement and Compete 2020 co-funded by the FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional
Financiamento para o CESAM - 212498 €
Financiamento Total - 212498 €
Instituicão Proponente - Universidade de Aveiro
Instituições Participantes
Universidade de São Paulo (USP), Brasil

O ar é um recurso natural integrante dos serviços ecossistémicos. Estimativas recentes revelam nºs chocantes sobre o contributo da poluição do ar, e sobretudo das partículas inferiores a 10 e 2,5 um (PM10 or PM2,5), para as doenças cardiorespiratórias e mortes prematuras. A poluição do ar e as alterações climáticas estão também estreitamente relacionadas. Embora os avanços tecnológicos tenham permitido reduzir as emissões de exaustão dos veículos, as emissões de não exaustão (ressuspensão de poeiras das vias e desgaste de pneus, travões e pavimentos), juntamente com as emissões dos cozinhados, emergiram como fontes de poluição dominantes, mas desprezadas, nas atmosferas urbanas, colocando óbvios desafios científicos e políticos. O SOPRO visa: i) compreender cientificamente as peculiaridades das áreas urbanas portuguesas e brasileiras que levam a frequentes ultrapassagens aos valores limite de PM2,5/PM10, ii) determinar rigorosamente a contribuição das fontes e identificar as responsáveis pelas excedências, e iii) propor estratégias de mitigação focadas nas principais fontes emissoras. O SOPRO responde ao apelo de avaliação integrada lançado pela Estratégia Nacional para o Ar (ENAR2020), enquadrando-se em 3 áreas prioritárias RIS3 e em 4 desafios societais relacionados com Ação Climática, Saúde e Bem-estar e Transportes. Dada a necessidade de caracterização das emissões de partículas pelo tráfego, será seguida uma estratégia concertada para obter perfis de exaustão e não exaustão: i) partículas do desgaste de diferentes pavimentos e pneus geradas num simulador rodoviário; ii) emissões de exaustão em dinamómetro de diversas categorias de veículos representativas das frotas brasileira e europeia; iii) medições em túneis rodoviários; iv) amostras de ressuspensão de poeiras das rodovias. Serão também obtidas amostras de exaustão de restaurantes representativos de vários estilos da culinária latina. Para obter perfis químicos de emissão das várias fontes, um vasto leque de técnicas analíticas de ponta será aplicado às amostras. O rastreio toxicológico das partículas e a relação com as características físico-químicas representará outro aspeto inovador. Serão aplicados modelos químicos de transporte para prever poluentes primários e secundários em São Paulo e regiões selecionadas em Portugal, incorporando os novos perfis de emissão e inventários atualizados e considerando diferentes cenários de emissão, alterações climáticas e políticas de controlo. O SOPRO é uma iniciativa conjunta da UAVR/CESAM e USP, ambas com ampla experiência nas ciências atmosféricas, tendo recebido o apoio de vários centros de reconhecida excelência: ARPA-Lombardia e Universidade de Florença (Itália), IDAEA e CIEMAT (Espanha), VTI (Suécia), KIT (Alemanha) e UERJ (Brasil). Beneficiará, assim, de recursos analíticos complementares, gerando um projeto transcontinental e multidisciplinar com cientistas atmosféricos, engenheiros de transportes, químicos, toxicologistas e modeladores.


http://sopro.web.ua.pt/

Membros neste projecto
Ana Isabel Miranda
Investigadora
Ana Margarida Vicente
Investigadora
Casimiro Pio
Investigador
Cátia Gonçalves
Investigadora
Célia A. Alves
Coordenadora
Isabel M. Lopes
Investigadora
Joana Ferreira
Investigadora
Teresa Nunes
Investigadora

Financiamento do CESAM: