Building the future by doing more together

REDEEM - Resiliência de corais antozoários à mineração no mar profundo, uma abordagem holobiontica
Investigador Responsável - Ana Hilário
Investigador responsável no CESAM - Ana Hilário
Programa - Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização (02/SAICT/2017)
Período de Execução - 2018-07-22 - 2021-07-21 (36 Meses)
Entidade Financiadora - FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Financiamento para o CESAM - 239959 €
Financiamento Total - 239959 €
Instituicão Proponente - Universidade de Aveiro


A mineração de nódulos polimetálicos poderá ter um enorme impacto nos ecossistemas de profundidade, mas os efeitos dessa atividade são ainda pouco conhecidos. Além da remoção dos nódulos, haverá uma re-suspensão de sedimentos que poderão enterrar e/ou sufocar organismos, cobrir substratos de assentamento e impedir a sua colonização. REDEEM tem como objetivo estudar o impacto das plumas de sedimentos resultantes da extração de nódulos sobre corais antozoários, um dos principais componentes da megafauna da região Clarion-Clipperton (CCZ), a principal região-alvo de mineração de nódulos, com 15 contratos de exploração aprovados pela Autoridade Internacional dos Fundos Marinhos (ISA). A ISA adotou recentemente um plano de gestão ambiental para a CCZ e exige que antes da exploração seja realizado, em cada área concessionada, um estudo de base sobre a biologia bentónica. No entanto, a comunidade científica internacional reconheceu a necessidade urgente de estudos independentes. Nesse contexto, a equipa do projeto REDEEM foi convidada para participar numa missão conduzida pelo GEOMAR (Alemanha) que tem como objetivo monitorizar um ensaio in situ de um coletor de nódulos e avaliar os seus impactos ambientais. Serão colhidas amostras antes e após o ensaio na área minerada, na área adjacente coberta pelos sedimento re-suspensos, e numa área de referência onde não são esperados impactos. REDEEM usará metodologias de ponta desenvolvidas para o estudo em corais tropicais que permitem perceber os níveis de tolerância e os mecanismos de resposta a um aumento da sedimentação. Para tal, vai integrar 3 aspectos fundamentais da ecologia dos corais: alimentação, ciclo de vida e microbioma, seguindo uma abordagem holobiontica, ou seja, considerando que a resiliência do coral depende da relação intrínseca entre o coral-hospedeiro e a comunidade microbiana a ele associada. REDEEM reúne uma equipa com competências nas áreas da ecologia trófica e reprodutiva e desenvolvimento larvar de invertebrados, bem como na caracterização de comunidades microbianas e microbiologia molecular cuja colaboração irá sem dúvida trazer avanços significativos no conhecimento da natureza e escala dos impactos de mineração nos ecossistemas profundos. Além disso, a vasta experiência desta equipa em amostragem em alto mar/profundidade e uma estreita parceria com os responsáveis pelo cruzeiro minimizarão os riscos inerentes a trabalhar numa região remota, a cerca de 5000m de profundidade. Os resultados do projeto serão amplamente disseminados dentro comunidade científica, mas também entre diferentes atores. REDEEM propõe estabelecer uma comunicação fluida entre a ciência e os utilizadores finais, para informar sobre novos resultados científicos e obter informações sobre as necessidades e restrições enfrentadas pela indústria e pelos decisores. Além disso, serão desenvolvidas várias atividades e produtos de divulgação para aumentar a conscientização pública sobre a mineração do oceano profundo.


 


http://redeem.web.ua.pt

Membros neste projecto
Ana Hilário
Coordenadora
Clara F. Rodrigues
Investigadora
Isabel Henriques
Investigadora
Marina R. Cunha
Investigadora
Sven Richard Laming
Investigador

Financiamento do CESAM: