Building the future by doing more together

GReAT - Biomassa granular de microalgas-bactérias para o tratamento de águas residuais de aquicultura
Investigador Responsável - Catarina Raquel Leite Amorim
Investigador responsável no CESAM - Isabel Henriques
Programa - Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização (02/SAICT/2017)
Período de Execução - 2018-06-01 - 2021-05-31 (36 Meses)
Entidade Financiadora - FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia; FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional
Financiamento para o CESAM - 58506 €
Financiamento Total - 236529 €
Instituicão Proponente - Universidade Católica Portuguesa, Escola Superior de Biotecnologia - Porto
Instituições Participantes
Universidade de Aveiro


A aquicultura marinha pode afetar de forma negativa o ambiente. Esta atividade tem um impacto significativo no ecossistema, sendo o elevado consumo de água e o elevado volume efluente produzido, as principais desvantagens. Os Sistema de Recirculação em Aquacultura (RAS) são extremamente importantes pois permitem a reciclagem/reutilização de água, promovendo o conceito de economia circular. Estes sistemas permitem reduzir o consumo de água, protegendo assim o ambiente e reduzindo os custos económicos. Para uma produção adequada, as aquaculturas utilizam antibióticos como medidas terapêuticas, promotoras do crescimento e profiláticas. A emissão destes micropoluentes nos cursos de água é uma fonte de contaminação, a qual pode favorecer a emergência de genes de resistência a antibióticos. Como tal, torna-se necessário desenvolver novas tecnologias capazes de tratar adequadamente as águas residuais das industrias de aquicultura marinha, assegurando a qualidade da água tratada para reutilização. Os sistemas de biofilme são muito promissores para o tratamento de águas residuais, especialmente quando contêm micropoluentes (p.e. antibióticos). A elevada concentração em biomassa e a estrutura em camadas dos biofilmes, oferecem proteção à comunidade microbiana contra as condições adversas das águas residuais. Embora pertençam a diferentes níveis tróficos, quer as microalgas quer as bactérias têm elevada capacidade em lidar com águas residuais recalcitrantes. Assim, a combinação destes organismos numa mesma estrutura poderá beneficiar o tratamento de águas residuais, dado que a sinergia estabelecida poderá tornar a remoção mais eficiente. O presente projeto visa desenvolver uma biomassa granular constituída por microalgas e bactérias. Estes grânulos serão usados na inoculação de um reator destinado ao tratamento de águas residuais de aquicultura marinha. As microalgas serão isoladas de ambientes marinhos e as mais promissoras em lidar com aguas residuais de aquacultura serão posteriormente usadas, em combinação com lamas ativadas, na produção de grânulos mistos. Após a biogranulação, será avaliada a capacidade destes agregados para tratar águas residuais de aquicultura marinha em reatores SBR, que são soluções compactas e energeticamente eficientes. Como a tecnologia desenvolvida visa produzir água para ser reutilizada nas aquiculturas, a segurança microbiológica e a qualidade da água reciclada devem ser asseguradas. Além disso, para uma melhor compreensão da evolução e dinâmica das populações que constituem os grânulos, a comunidade microbiana será estudada recorrendo a técnicas de biologia molecular. Coletivamente, o resultado deste projeto irá ser uma mais valia para o tratamento de águas residuais, mas também beneficiará as industrias de aquacultura, e em última análise, a sociedade através da redução da energia e da agua consumida, dado que este recurso poderá ser reutilizado nas instalações industriais.




Membros neste projecto
Isabel Henriques
Coordenadora
Marta Tacão
Investigadora

Financiamento do CESAM: