Building the future by doing more together

Generosi - Erosão genética provocada por exposição a contaminação química: consequências na viabilidade de populações de anfíbios.
Investigador Responsável - Isabel M. Lopes
Programa - PROJECTOS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - FCT
Período de Execução - 2013-06-01 - 2015-05-31 (24 Meses)
Entidade Financiadora - FCT
Financiamento para o CESAM - 101000 €
Financiamento Total - 198664 €
Instituicão Proponente - Universidade de Aveiro
Instituições Participantes
IIIRC, Universidad de Castilla-La Mancha, Spain
IPATIMUP, University of Porto, Portugal
IMAR, University of Coimbra, Portugal


A avaliação de efeitos provocados por poluição na diversidade genética de populações naturais tem vindo a receber crescenteatenção da comunidade científica. No entanto, além da ocorrência, é essencial compreender que efeitos ecológicos a longo prazo podem advir da perda de diversidade genética. Por exemplo, uma maior susceptibilidade a diferentes agentes perturbadores pode comprometer a viabilidade dessas populações. No presente, o conhecimento científico fundamentado existente sobre a possibilidade de erosão genética provocar efeitos negativos no potencial evolutivo das populações é limitado permanecendo muitas lacunas importantes por preencher. Sendo que populações são consideradas as unidades mínimas para a conservação de espécies e protecção ambiental, é necessária uma compreensão exacta de como os contaminantes podem influenciar a sua diversidade genética e que consequências lhe estão associadas, de modo a melhor conservar a biodiversidade. Actualmente, a maioria dos trabalhos publicados nesta área, monitorizaram marcadores moleculares neutros que podem falhar na detecção de pressões selectivas direccionais, e muito poucos avaliaram o impacto que a perda de diversidade genética pode provocar na viabilidade das populações. Mais ainda, a maioria destes trabalhos centrou-se no estudo de populações de invertebrados. No entanto, o estudo destes processos é extremamente importante em espécies de vertebrados, uma vez que usualmente são constituídas por populações de tamanhos mais pequenos, pelo que o efeito dos contaminantes na sua diversidade genética pode ser exacerbado. Entre os vertebrados, o estudo de erosão genética devida a poluição em anfíbios é pertinente e imperativo, uma vez que: (i) 32% das espécies estão ameaçadas, cerca de 43% estão em declínio (dados referenciados por Global Amphibian Assessment Project); (ii) apenas alguns artigos abordaram os efeitos de poluição na diversidade genética de populações de anfíbios, a maioria apenas os avaliou numa perspectiva de adaptação local, não considerando a ocorrência de erosão genética e suas potenciais consequências na viabilidade das populações; (iii) os anfíbios possuem movimentos espaciais relativamente limitados, implicando um restrito fluxo genético e facilitando a ocorrência de erosão genética. Face ao exposto, GENEROSI pretende avaliar a ocorrência de erosão genética devido a poluição e possíveis consequências na viabilidade de populações de anfíbios aquando expostas agentes perturbadores futuros. Pertende ainda perceber o papel da comunidade microbiana da pele de anfíbios nos processos anteriormente referidos, uma vez que, por exemplo, foi reportado que esta comunidade pode estar envolvida numa maior resistência de anfíbios a patógenos. Para atingir estes objectivos, delinearam-se 3 objectivos específicos, avaliar: (i) se exposição a contaminação por metais provoca erosão genética, (ii) possíveis mecanismos associados a uma maior resistência a metais, (iii) se uma maior resistência a metais está associada a uma maior susceptibilidade a agentes patógenos (uma das maiores ameaças dos anfíbios). Para abordar estes objectivos foram seleccionados dois locais de estudo com um historial de contaminação por metais semelhante: Mina de São Domingos (SW de Portugal) e minas do Valle de Alcúdia (SW de Espanha). Uma vez que, em ambos os locais, a contaminação por metais se reporta a mais de 1 século, é esperado que as populações de anfíbios que os habitam tenham estado expostas por muito tempo e tenha ocorrido selecção direccional. Pelophylax perezi será utilizada como organismo modelo, por ser abundante, amplamente distribuída na Península Ibérica, e está presente nos 2 locais de estudo. Os resultados obtidos no final do projecto acrescentarão valor científico a nível internacional, por ser um estudo pioneiro no que concerne à avaliação integrada da ocorrência de erosão genética em populações de anfíbios e consequências evolutivas dessas alterações, assim como na tentativa de perceber a associação entre os efeitos provocados por contaminantes no microbioma da pele de anfíbios e as consequências que possam daqui advir no que respeita à suspcetibilidade de anfíbios a outros agentes perturbadores. E consequentemente, permitirá propor planos de protecção mais eficazes.




Membros neste projecto
Amadeu Soares
consultor

invesitigador

investigador
Isabel M. Lopes
investigador responsável

investigador

Financiamento do CESAM: