Forging sustainability

  • 2019

    Cláudio Alexandre Tabaio Brandão Diversity and population dynamics of endolithic coral symbiotic dinoflagellates at Lizard Island (Great Barrier Reef, Australia) Os recifes de coral são ecossistemas de grande importância ecológica, caracterizados por uma elevada produtividade e biodiversidade. Na base do seu sucesso ecológico e evolutivo, está a relação simbiótica que os corais estabelecem com dinoflagelados da família Symbiodineaceae. No entanto, apesar de estas microalgas serem principalmente reconhecidas pela relação simbiótica mutualista que estabelecem com corais e outros organismos, elas também prosperam no meio ambiente sob formas de vida livre (conhecido como o seu estado “free-living”), podendo ser encontradas tanto na coluna de água como no sedimento. Essas populações ambientais constituem um importante recurso como fonte de potenciais simbiontes para os corais, mas pouco se sabe acerca da sua biologia e ecologia. O nosso grupo de investigação descobriu que estes dinoflagelados (em cultura, no seu estado “free-living”) são capazes de induzir a produção de pequenas estruturas de carbonato de cálcio, denominadas “simbiolitos”, semelhantes a pequenos grãos de areia, e que incorporam as células dos dinoflagelados, que se tornam assim endolíticas. A descoberta dos simbiolitos in vitro revelou pela primeira vez a existência de uma estratégia endolítica no ciclo de vida destes dinoflagelados e levou a nossa equipa a procurar provas da existência desta fase do ciclo de vida nas populações ambientais destes dinoflagelados, em sedimentos naturais da Grande Barreira de Coral, na Austrália. Projeções recentes mostram que, devido à acidificação dos oceanos, os recifes de coral poderão transitar do estado atual de calcificação para um estado de dissolução, num prazo tão curto quanto 2050. Assim, torna-se provável que esta mudança radical na química dos recifes de coral afete as comunidades endolíticas, uma vez que o nicho endolítico se baseia na calcificação. Para se compreender como é que essas mudanças podem ocorrer, torna-se imperativo conhecer qual o estado atual destes ecossistemas, e caracterizar a diversidade, abundância e a dinâmica populacional das comunidades endolíticas das algas simbióticas dos corais. Assim, o principal objetivo da presente proposta é avaliar a abundância absoluta e a dinâmica sazonal das comunidades endoliticas dos dinoflagelados simbiodiniáceos nos sedimentos naturais dos recifes de coral da Lizard Island, situada na Grande Barreira de Coral. Espera-se que a execução da presente proposta forneça informações fundamentais sobre o ciclo de vida e ecologia dos dinoflagelados simbiodiniáceos, com implicações capitais para uma melhor compreensão do seu papel nos ecossistemas de recife de coral a nível global.

    ver mais
  • 2018

    Sara Filipa da Silva Lucas Sousa Vicente Estudo da variabilidade genética em ecossistemas nativos e recentemente invadidos por Acacia longifolia: uma espécie modelo à escala global Acacia longifolia é uma espécie nativa da Austrália, das mais invasoras e perigosas à escala global. No entanto são raros os estudos que integram a sua dualidade “nativa-invasora”, em particular a sua variabilidade genética versus plasticidade fenotípica em ecossistemas nativos e invadidos. Esta avaliação é fundamental para futuras ações de controlo e erradicação. Assim, pretende-se construir uma base de dados à escala global recorrendo a microssatélites e informação fenológica (Alongifolia network) que reúna dados de sistemas nativos e invadidos.

    ver mais

Financiamento do CESAM: