Forging sustainability

FRURB - Gestão do risco de cheia em áreas urbanas no contexto das alterações globais
Investigador Responsável - António Ferreira
Investigador responsável no CESAM - Celeste Coelho
Programa - PTDC/AUR-URB/123089/2010
Período de Execução - 2012-03-01 - 2015-08-31 (42 Meses)
Entidade Financiadora - Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Financiamento para o CESAM - 22247 €
Financiamento Total - 155113 €
Instituicão Proponente - Instituto Politécnico de Coimbra
Instituições Participantes
Universidade de Aveiro
- Administração da Região Hidrográfica do Centro, I.P.

O projeto FRURB apresenta uma abordagem integrada da gestão do risco de cheias urbanas. O aumento da expansão urbana e planeamento inadequado acentua o problema das cheias súbitas, agravadas pela alteração dos padrões de eventos extremos e alterações nos processos hidrológicos. As áreas urbanas são particularmente vulneráveis às cheias súbitas dada a elevada concentração de bens, infra-estruturas e pessoas. É fundamental entender a relação entre as características urbanas (intensidade e localização na bacia, sistemas de drenagem) e os processos hidrológicos, associados às cheias súbitas em meios urbanos. Devido ao património nas áreas urbanas, a adaptação de medidas e capacidade de resiliência será mais efetiva se for conhecido o local de ocorrência, frequência e magnitude das cheias súbitas.


FRURB apresenta uma gestão mais eficiente das cheias súbitas, desenvolvendo novas estratégias de planeamento e antecipando a delimitação das áreas de maior risco, recorrendo à utilização de modelos físicos de distribuição espacial. Para desenvolver abordagens altamente eficazes para a redução da magnitude e frequência das cheias, o projeto analisará práticas de planeamento e gestão em duas áreas de estudo propostas.


É ainda considerado o desenvolvimento de estratégias de mitigação do risco de cheia. Ênfase especial será dada ao desenvolvimento de potenciais estratégias de defesa estruturais e não-estruturais. A hipótese base do FRURB sugere a identificação e utilização de características territoriais para reduzir a conectividade e a transparência de fluxos de água entre os compartimentos da bacia. Assim, procurar-se-ão zonas tampão e barreiras dentro das bacias de estudo, para serem utilizadas na redução da magnitude e frequência de cheias. A implementação destas soluções abrangerá novos paradigmas e, ferramentas de planeamento e gestão para controlar a expansão urbana e desenvolver estratégias territoriais a médio e longo prazo.




Membros neste projecto
António Ferreira
Investigador Responsável

Investigadora
Celeste Coelho
Coordenadora equipa UA
Cristina Ribeiro Barbosa
Bolseira de Investigação
Sandra M. Valente
Investigadora
Teresa Fidélis
Tnvestigadora

Financiamento do CESAM: