Building the future by doing more together

Recuperar o passado, registar o presente e preparar o futuro das colecções zoológicas em Portugal
Investigador Responsável - Cristiane Bastos-Silveira
Período de Execução - 2008-01-01 - 2011-03-31 (39 Meses)
Entidade Financiadora - FCT- Portuguese Foundation for Science and Technology
Financiamento para o CESAM - 138000 €
Financiamento Total - 138000 €
Instituicão Proponente - Universidade de Lisboa
Instituições Participantes
Universidade de Aveiro



As colecções de história natural constituem uma importante fonte de informação sobre organismos extintos e não-extintos e são um contributo valioso para a investigação em áreas fundamentais das ciências biológicas. Uma vez parte de uma colecção, os organismos tornam-se especímenes identificados como pertencendo a um grupo e a uma localidade, numa determinada altura no tempo. No entanto, num mundo em constante mudança a manutenção de especímenes e o tipo de informação recolhida a partir destes é cada vez mais rigorosa e exigente. A localização geográfica pode agora ser obtida através do sistema de GPS. Especímenes antigos podem agora ser objecto de estudos de genética molecular e potencial fonte de aplicação do novo conceito de identificação de espécies, o “DNA barcode”, através da utilização de sequências mitocondriais do gene citocromo c oxidase I (COI). Assim, numa perspectiva mais abrangente, o valor das colecções depende da sua constante actualização e manutenção à medida que novas tecnologias e pontos de vista emergem, constituindo uma desafio às instituições responder a esses avanços. Simultaneamente, à medida que a biodiversidade mundial se torna cada vez mais ameaçada, a importância de utilizar, desenvolver e preservar as colecções de história natural aumenta, tal como a necessidade de promover o conhecimento do público sobre a importância da biodiversidade e as implicações do seu desaparecimento. As técnicas de recolha, armazenamento e utilização de material biológico têm evoluído constantemente. A identificação de espécies recorrendo a técnicas genéticas pode ser utilizada em estudos forenses para detectar tráfico ilegal de partes ou produtos de animais ou plantas ameaçados e os museus podem ter um papel chave neste processo. Assim, o maior desafio dos museus de história natural é o de enfrentar a sua natureza de entidades em constante evolução, albergando uma enorme quantidade de ciências, num contexto de aumento do interesse público e na necessidade de novas modalidades de acesso público. Uma vez que as tecnologias de comunicação se encontram cada vez mais acessíveis a toda a sociedade é esta uma altura de extrema responsabilidade por parte de todos os detentores de colecções de permitirem o acesso total, através da Internet, à informação nelas contida fazendo uso de iniciativas internacionais tais como a Global Biodiversity Information Facility (GBIF). De forma a promover e ir ao encontro do interesse tanto do público em geral como da comunidade cientifica e com o intuito de desenvolver e implementar novos modos de acesso aos dados, o Museu Nacional de História Natural/Museu Bocage e uma equipa de especialistas juntar-se-ão numa iniciativa multidisciplinar para revelar o acervo das colecções zoológicas Portuguesas, convertendo a informação existente em dados da era digital e molecular. Para alcançar estas metas propõem-se os seguintes objectivos: 1) identificar instituições que possuem colecções zoológicas de espécies dos antigos territórios Portugueses na América do Sul, África e Ásia; 2) identificar instituições que possuem especímenes de vertebrados terrestres Portugueses que façam parte da lista do Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal; 3) digitalizar a informação daquelas colecções adoptando normas compatíveis com as requeridas pelo GBIF; 4) implementar um banco de material biológico de espécies de vertebrados terrestres listados no Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal; e 5) obter dados genéticos daquelas espécies e contribuir para a iniciativa internacional “DNA Barcode” (CBOL). A identificação das colecções alvo (objectivos 1, 2 e 3) será efectuada através de questionários on-line e em papel. O banco de material biológico (objectivo 4) será composto pela actual colecção de tecidos do Museu Bocage que será complementada com trocas entre as instituições participantes e outras colaborações institucionais. As sequências de DNA mitocondrial (objectivo 5) serão geradas e incorporadas no “Barcode of Life Data System” (BOLD). O acesso aos dados gerados, através de um motor de busca, estará disponível com diferentes níveis de detalhe de acordo com o público-alvo e as políticas institucionais. Com o desenvolvimento deste projecto espera-se revelar a riqueza do acervo existente nas colecções zoológicas Portuguesas, contribuir para a sua qualificação, organização e difusão e criar um banco nacional de material biológico a partir do qual os biomateriais e a informação a eles associada terá grande relevância para as áreas de ecologia, genética, taxonomia, gestão da vida selvagem e investigação forense. Adicionalmente, pretende-se transferir o conhecimento adquirido com este projecto treinando outros profissionais e viabilizando as potencialidades de outras importantes colecções, contribuindo assim para a divulgação do património natural Português.





Membros neste projecto

Principal Investigator
Deodália Dias
Research Member
José Pedro Granadeiro
Researcher Member
Maria de Luz Mathias
Researcher Member

Financiamento do CESAM: