Building the future by doing more together

CONTROLCLAM: Métodos sustentáveis para o controlo da espécie invasiva Corbicula fluminea em instalações hidrodependentes.
Investigador Responsável - Joana Luísa Lourenço Estevinho Pereira
Programa - COMPETE (PTDC/AAC-AMB/113515/2009)
Período de Execução - 2011-02-01 - 2014-07-31 (42 Meses)
Entidade Financiadora - Fundação para a Ciência e Tecnologia
Financiamento para o CESAM - 123504 €
Financiamento Total - 158544 €
Instituicão Proponente - Universidade de Aveiro
Instituições Participantes
PRODEQ - Associação para o Desenvolvimento da Engenharia Química (PRODEQ)

O bivalve de água doce Corbicula fluminea (ameijoa asiática) é um dos invasores aquáticos mais relevantes. Em Portugal, os primeiros registos da sua ocorrência datam do início de 1980, na bacia do Tejo, sendo que actualmente ocorre noutros cursos de água, como os rios Minho e Guadiana. O rápido crescimento, maturidade sexual precoce, grande potencial reprodutivo e larga capacidade de dispersão fazem da espécie um invasor bem sucedido, que causa alterações ecológicas importantes nos sistemas invadidos, e um ‘biofouler' poderoso. Além de impactos ecológicos, C. fluminea causa importantes prejuízos económicos. Sistemas industriais dependentes de água e.g. para arrefecimento, instalações de tratamento de águas para consumo humano e canais de irrigação são particularmente vulneráveis ao ‘biofouling' por bivalves. Os dados produzidos no âmbito deste projecto contribuirão para o conhecimento acerca da disseminação e controlo de C. fluminea não só à escala nacional, como também numa dimensão mais alargada. Um primeiro objectivo do projecto será documentar, de forma abrangente, a presença de C. fluminea no país, apoiando a implementação de medidas preventivas de gestão e controlo em contexto industrial da infestação. A utilização de químicos com propriedades tóxicas é a abordagem mais usada para a mitigação de bivalves neste contexto. Apesar de versátil, este método de controlo levanta algumas questões relativamente aos efeitos deletérios colaterais em organismos não-alvo e à eficiência económica de alguns biocidas. Um segundo objectivo do projecto será o desenvolvimento de soluções de natureza química, mais efectivas e ambientalmente sustentáveis, para o controlo de C. fluminea. Assim, serão consideradas novos biocidas, bem como estratégias de aplicação e métodos de disponibilização inovadores para biocidas existentes. Neste contexto, serão avaliados os efeitos letais e bioquímicos de uma gama alargada de substâncias de degradação rápida na espécie alvo, e serão exploradas novas abordagens de dosagem química. A selectividade dos métodos desenvolvidos será também avaliada, para que os seus efeitos ambientais colaterais possam ser detectados a priori e prevenidos.




Membros neste projecto

Investigador
Catarina Marques
Investigadora
Inês C. Rosa
Investigadora
Joana Luísa Pereira
Coordenadora

Investigadora

Financiamento do CESAM: