Building the future by doing more together

SusPiRe - uma ferramenta para a gestão sustentável de florestas de Pinus pinaster (Ait.), com base na previsão da sua regeneração espontânea
Investigador Responsável - Paula Alexandra Aquino Maia
Programa - Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização (02/SAICT/2017)
Período de Execução - 2018-07-01 - 2020-12-31 (30 Meses)
Entidade Financiadora - FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia, within the PT2020 Partnership Agreement and Compete 2020 co-funded by the FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional
Financiamento para o CESAM - 206257 €
Financiamento Total - 206257 €
Instituicão Proponente - Universidade de Aveiro


A conversão de pinhal para eucaliptal é comum em Portugal, após fogos florestais ou corte raso de pinhais adultos. No entanto, é frequente observar-se uma abundante regeneração espontânea de pinheiro bravo em eucaliptais e, em menor grau, em pinhais recém plantados, particularmente no centro de Portugal. Isto leva a crer que o planeamento florestal nesses casos poderia ter beneficiado de uma análise dos custos-benefícios das operações florestais face ao potencial de regeneração espontânea. De facto, plantações de eucaliptos com pouca gestão tornam-se, frequentemente florestas mistas de eucalipto e pinheiro, indicando que o investimento da plantação foi, de certa forma, injustificado e sem benefício económico para o proprietário. Uma gestão adequada da regeneração de pinheiro bravo pode dar origem a florestas naturais exploráveis, com custos negligenciáveis, tendo a vantagem de usar recursos nativos, com muito menor impacto ecológico. O "uso de regeneração natural, sempre que apropriado e possível" é recomendado em diretivas europeias de proteção e gestão florestal e converge com linhas de I&D prioritárias nacionais, em ciências florestais. SusPire pretende contribuir para o conhecimento atual sobre os processos envolvidos na regeneração espontânea de Pinus pinaster. A estrutura conceptual subjacente pressupõe que a resiliência das florestas de pinheiro é moldada pela combinação de fatores biológicos, ecológicos, ambientais e de gestão florestal. Para este fim, os pontos-chave na dinâmica das comunidades florestais vão ser abordados de forma multidisciplinar, como os processos que determinam a produção de sementes, disponibilidade, recrutamento, estabelecimento e crescimento dos pinheiros. O programa de trabalhos vai estudar: a)a variabilidade da maturidade sexual de diferentes populações de pinheiros; b) as implicações da disponibilidade de sementes na germinação e estabelecimento dos pinheiros e como este processo pode ser afetado pelas condições locais c)o impacto dos micromamíferos na disponibilidade de sementes e como a granivoria pode ser influenciada por condições locais; d) o efeito da manipulação de condições climáticas, e.g. irrigação e temperatura, no recrutamento, estabelecimento e desenvolvimento a curto-prazo dos pinheiros. SusPiRe vai contar com uma abordagem experimental multidisciplinar, levada a cabo em estreita relação com stakeholders relevantes na região. Isto pretende criar um fluxo de informação bidirecional, de forma a compreender as motivações e necessidades de gestão para as práticas florestais mais frequentes, com o objetivo de otimizar a elaboração de diretrizes, guiadas para questões reais na esfera da gestão florestal. A divulgação dos resultados terá, portanto, uma aplicação direta na gestão. O objetivo final é a criação de uma ferramenta que permita prever o potencial da regeneração de Pinus pinaster, em diferentes sítios alvo, assim como as melhores práticas de gestão para tirar o maior partido desse potencial.




Membros neste projecto
Jan Jacob Keizer
Investigador
João Puga
Investigador
Paulo Silveira
Investigador
Sandra M. Valente
Investigadora

Financiamento do CESAM: