Caring about the future

ENIGMA - Eco-friendly Nanotechnology in fish health manaGement for sustainable aquaculture developMent in Africa
Investigador Responsável - Bruno André Fernandes de Jesus da Silva Nunes
Programa - Acordo de Cooperação Científica e Tecnológica entre o MCTES e o Imamat Ismaili
Período de Execução - 2022-01-01 - 2024-12-31 (36 Meses)
Entidade Financiadora - FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Financiamento para o CESAM - 242497.3 €
Financiamento Total - 242497.3 €
Instituicão Proponente - Universidade de Aveiro
Instituições Participantes
Federal University of Technology, Owerri, Nigeria

Descrição do Projecto
A aquacultura constitui um dos principais setores de produção de alimentos com maior crescimento anual, incrementando o bem-estar e prosperidade das populações à escala global. Além disso, a aquacultura apresenta-se atualmente como um setor com elevado potencial, na medida em que contribui para o crescimento sustentável da economia azul, especialmente em certas regiões de África com rendimentos e segurança alimentar insuficientes. O incremento da produção aquícola de modo a colmatar as crescentes necessidades das populações em termos de proteína animal torna-se, deste modo, imperioso, permitindo assim aliviar, de uma forma mais sustentável, fenómenos de pobreza, malnutrição e subsistência locais. Na Nigéria, o sector aquícola contribui anualmente com 0,2 a 0,5% para o produto interno bruto. Neste país, a tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus) e o bagre-africano (Clarias gariepinus) são duas espécies amplamente cultivadas em regime de aquacultura devido à sua importância económica, rápido crescimento e elevada tolerância a condições ambientais desfavoráveis. Contudo, o desenvolvimento do setor aquícola na Nigéria tem originado níveis crescentes de intensificação, frequentemente caracterizados por elevadas densidades de biomassa em stock, manuseamento excessivo, aumento do teor em matéria orgânica e má nutrição dos peixes. Estas e eventualmente outras condições de stress potenciam o aparecimento de diversas bactérias oportunistas que se tornam altamente patogénicas para os peixes, podendo originar surtos de doenças em sistemas de aquacultura. Além disso, o frequente aumento de temperatura das massas de água superficiais durante as estações mais quentes também contribui para o aparecimento de doenças bacterianas em peixes de aquacultura. Consequentemente, verificam-se elevadas taxas de mortalidade nos peixes expostos, com as subsequentes perdas económicas associadas.

Os métodos tradicionais normalmente utilizados para o controlo de doenças bacterianas em pisciculturas incluem o uso de antibióticos e vacinas. Contudo, estes tratamentos têm-se revelado eficazes apenas na luta contra um único agente patogénico em particular. Recentemente, a nanotecnologia tem aberto muitas janelas de oportunidade em projetos de inovação no setor aquícola. Concretamente, a biossíntese verde de nanopartículas (NPs) tem mostrado vantagens económicas e ecológicas comprovadas relativamente à utilização dos métodos mais convencionais utilizados para o tratamento de doenças em peixes. Deste modo, a biossíntese verde de NPs surge no presente projeto como uma área de investigação emergente e promissora na luta contra bactérias virulentas, contribuindo, desta forma, para a minimização dos fenómenos de resistência antimicrobiana. Esta mudança de paradigma na gestão e controlo de doenças bacterianas pode ser transferida para países africanos com segurança alimentar e nutricional insuficientes, tais como a Nigéria, de modo a assegurar uma melhor gestão e controlo do estado de saúde dos peixes, garantindo assim as condições necessárias para o desenvolvimento de sistemas de aquacultura sustentáveis e amigos do ambiente.

Este projeto reúne uma equipa pluridisciplinar de investigadores de Portugal e da Nigéria fortemente motivados no processo de alívio da pobreza em África, com o objetivo último de aumentar a produção aquícola de O. mykiss e C. gariepinus em África e, consequente, contribuir para a melhoria da segurança alimentar das populações locais, especialmente de jovens, mulheres e grupos mais vulneráveis. Propomo-nos alcançar este objetivo geral através de duas abordagens específicas e complementares: (i) desenvolvimento de novas metodologias baseadas na nanotecnologia para a gestão, controlo e prevenção de doenças bacterianas em sistemas de aquacultura de O. mykiss e C. gariepinus; e (ii) providenciar mecanismos de treino, instrução e educação adequados, tendo em conta as necessidades nacionais e locais do país africano em causa, de modo a contribuir para um incremento e melhoria das condições de biossegurança num contexto de prevenção e controlo de doenças bacterianas potencialmente presentes em peixes. O presente projeto irá contribuir para a resolução de problemas à escala regional, nacional e internacional, enquadrando-se assim nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 1-3 e 12. Além disso, este projeto aborda diversos aspetos relacionados com sistemas de apoio a governos nacionais, englobando assim os ODS 6, 3 e 9. O consórcio formado é multidisciplinar e engloba uma parceria colaborativa complementar, contemplando assim o ODS 17. No entanto, oferece também uma oportunidade única para a capacitação e desenvolvimento das instituições nacionais participantes.

Palavras-chave: Adoção de tecnologia, Aquacultura amiga do ambiente, Aquacultura de subsistência, Análise da cadeia de valor, Avaliação de risco ecotoxicológico, Bagre-africano, Biossegurança, Clarias gariepinus, Controlo de doenças, Crescimento azul, Doenças de peixes, Equilíbrio de género, Estatuto socioeconómico, Gestão de saúde aquática, Inovação, Insegurança alimentar, Modo de vida sustentável, Mudança de paradigma, Nanotecnologia verde, Nigéria, Oreochromis niloticus, Pisciculturas de pequeno proprietário, Redução da pobreza, Reforço de capacidades, Rentabilidade, Tilápia do Nilo.




Membros do CESAM neste projecto
Marta Tacão
Investigadora
Victor Manuel Fernandes Galhano
Investigador Principal

Financiamento do CESAM: UIDP/50017/2020 + UIDB/50017/2020 + LA/P/0094/2020