Building the future by doing more together

Sandtrack - Alimentação artificial das praias: uma metodologia integrada de suporte à gestão litoral
Investigador Responsável - Paulo A. Silva
Programa - Projetos de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico (02/SAICT/2017)
Período de Execução - 2018-01-01 - 2020-12-31 (36 Meses)
Entidade Financiadora - FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Financiamento para o CESAM - 239314 €
Financiamento Total - 239314 €
Instituicão Proponente - Universidade de Aveiro
Instituições Participantes
Universidade de Lisboa
Instituto Hidrográfico

A alimentação artificial de praias representa uma intervenção de defesa costeira natural e eficaz contra a erosão costeira que preserva os valores recreativos da praia. Para melhorar o desempenho dessas operações, é necessário compreender os processos que determinam a sua evolução espácio-temporal. A quantificação das variações morfo-sedimentares em intervenções de alimentação artificial são normalmente realizadas através de levantamentos topo-batimétricos. No entanto, a baixa resolução temporal desses levantamentos dificulta a descrição das mudanças que ocorrem na praia [1]. A utilização complementar de traçadores sedimentares (traçadores fluorescentes ou de tinta normal) para avaliar o transporte sedimentar é considerada uma ferramenta valiosa [2,3] mas apresenta algumas desvantagens relacionadas com logística e métodos de amostragem [4]. Por outro lado, a complexidade dos processos físicos nas zonas costeiras (associados à transformação das ondas), bem como as alterações morfológicas que ocorrem a pequenas escalas de tempo, determinando o perfil da praia, e a longo termo, que determinam a evolução da linha de costa, dificultam a previsão precisa da evolução das alimentações de praia com modelos numéricos morfodinâmicos existentes. A presente proposta propõe desenvolver uma abordagem multidisciplinar inovadora, combinando o uso de traçadores fluorescentes e magnéticos com a modelação numérica, para quantificar o transporte de sedimentos e melhorar a eficiência das alimentações artificiais efetuadas na zona submersa da praia. Esta abordagem é aplicada ao estudo de caso da Costa Nova-Aveiro onde está prevista a recarga de vários milhões de metros cúbicos de areia [5]. A metodologia consiste em: (i) avaliar a deslocação espácio-temporal e as taxas de transporte de sedimentos usando traçadores magnéticos. Ao contrário de estudos convencionais que utilizam areias paramagnéticas (fracamente magnéticas), o aspeto inovador e promissor deste projeto é a fabricação de traçadores ferromagnéticos (fortemente magnéticos) a partir de areias naturais previamente pintadas com tinta magnética. A utilização concomitante de traçadores fluorescentes dos quais a equipa de investigação tem vasta experiência [6,7,8] assegurará a validação do método magnético. (ii) aplicar o modelo morfodinâmico DELFT3D [9] e o modelo de evolução da linha de costa LTC [10,11,12] para descrever a evolução de alimentações de praia em diferentes cenários conceituais. A calibração/validação de resultados numéricos com os dados adquiridos durante o projeto permitirá melhorar vários processos descritos nos modelos. Em particular, considerará a componente transversal do transporte sedimentar no modelo LTC, mediante o acoplamento com o modelo de perfil de praia [13], e descreverá o transporte lagrangiano de partículas de areia [14] no modelo DELFT3D. Os resultados obtidos visam otimizar intervenções de alimentação artificial e contribuir para uma gestão mais eficiente da zona costeira.




Membros neste projecto
Angela Fontan Bouzas
Investigadora
Cristina Bernardes
Investigadora
Maria Rita Nolasco
Investigadora
Paulo A. Silva
Coordenador
Tiago Abreu
Investigador

Financiamento do CESAM: