Building the future by doing more together

Laboratório de Conservação de Vertebrados Marinhos e Costeiros (CMCV)

Resumo:

O CMCV está focado em perceber os impactos de atividades antropogénicas nos cetáceos, aves marinhas e tartarugas marinhas em Portugal Continental, e nas aves marinhas ao longo da Rota Migratória do Atlântico Este. Para detetar mudanças em parâmetros de animais marinhos é essencial definir uma base de dados de referência, pela qual estas mudanças podem ser detetadas por comparação de dados. A melhoria da rede de encalhe, dos esquemas de monitorização de aves marinhas, do Banco de Tecidos de Animais Marinhos e das instalações de reabilitação no ECOMARE permitem uma análise mais aprofundada da interface Homem-animais marinhos. Em geral, a investigação a longo termo sobre estes predadores de topo produz dados de abundâncias de presas, qualidade do habitat, prevalência de doenças/parasitas, poluentes e outras ameaças contemporâneas dos ecossistemas, tais como biotoxinas e lixo marinho. Atualmente, uma das maiores preocupações do CMCV é a relação entre as patologias e os contaminantes do ambiente marinho, e a necessidade de novas estratégias de monitorização e gestão, tais como o uso de biomarcadores moleculares. Um dos aspetos mais importantes na avaliação de populações de megafauna marinha é também realizado pelo CMCV, nomeadamente através da monitorização da abundância e distribuição de várias espécies de cetáceos, aves marinhas e aves limícolas, usando diferentes metodologias como os censos e a modelação. Um variedade de parâmetros das tartarugas marinhas são monitorizados através de encalhes, assim como os padrões de movimento da tartaruga-cabeçuda que são monitorizados através da observação por satélite. As aves marinhas migratórias e a sua ligação com os locais de reprodução no Ártico, assim como com as áreas de não-reprodução nas zonas temperadas e tropicais, são monitorizadas com geolocalizadores, PTT e GPS/GSMs. No seu conjunto, estes dados contribuem para cumprir vários requisitos pedidos em diretivas Europeias, permitindo a cooperação entre instituições académicas e a gestão de recursos, assim como para outros “utilizadores do oceano”. Os programas de monitorização do CMCV permitem uma gestão adaptada  dos recursos ao contribuir para mitigar os impactos de atividades económicas relevantes, tais como a pesca e a exploração energética e de recursos. Está também a decorrer o trabalho em cooperação com a indústria da Pesca que tem como objetivo desenvolver e aplicar medidas com o intuito de reduzir as capturas acidentais.

Equipa:

Líder do Laboratório: 

Membros Doutorados:

Partilhe nas redes sociais:

Financiamento do CESAM: