HOME  »  Notícias
 
Orçamento Participativo do CESAM (OP@CESAM) - Oportunidade de financiamento para alunos de doutoramento

18/05/2018

Caros estudantes de Doutoramento do CESAM:

O CESAM lança hoje uma iniciativa a pensar em vós!

O Orçamento Participativo do CESAM (OP@CESAM) tem por objetivo promover uma maior participação e envolvimento dos investigadores juniores na atividade científica do CESAM. As ideias/iniciativas devem ser desenvolvidas por estudantes de Doutoramento do CESAM que vão ao encontro da investigação que levam a cabo, enquadradas na estratégia de I&I do CESAM, e que representem um contributo para a comunidade académica e/ou sociedade.

Mais informações (regulamento e formulário de candidatura) consultar a Intranet do CESAM.

Apresentem as vossas ideias até ao próximo dia 31 de maio para o e-mail: cesam-op@ua.pt />
Dêem largas à vossa imaginação! Apenas uma ideia será escolhida e financiada com um orçamento máximo de 10000€.

Contamos com a vossa participação!


 

Investigação do CESAM na edição de Maio do suplemento "Perspetivas" do Público

16/05/2018

A reportagem publicada no suplemento Perspetivas, distribuído com o jornal Público, destaca a relevância dos trabalhos de investigação desenvolvidos pelo CESAM: "As atividades de investigação e inovação (I&I) desenvolvidas pelo Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) encontram-se perfeitamente alinhadas e enquadradas na Especialização Inteligente da Região Centro, na qual a Universidade de Aveiro (UA) está inserida".

Prof Rosário Domingues, membro do CESAM, convidada para a Comissão Técnica Portuguesa do IPQ para avaliação de Algas e produtos Derivados

16/05/2018

O Comité Europeu de Normalização (CEN) decidiu criar uma Comissão Técnica no âmbito da especificação, classificação, terminologia e métodos de determinação de algas (gerais) e produtos à base de algas imediatamente derivados ou utilizados nos processos de produção de algas (TC 454 – 
Algae and algae products). Considerando a grande relevância que este tema tem para o mercado nacional, o Instituto Português da Qualidade (IPQ), como Organismo Nacional de Normalização, decidiu criar uma Comissão Técnica Portuguesa com vista ao acompanhamento dos trabalhos da referida comissão (CEN/TC 454). A Professora Rosário Domingues, membro integrado do CESAM, foi convidada a integrar esta Comissão Técnica, o que demonstra o carácter inovador e de excelência que a UA & CESAM têm vindo a desenvolver na área da biotecnologia marinha.

Mais informações: http://uaonline.ua.pt/pub/deta.....&lg=pt

Reportagem sobre a Investigação desenvolvida no CESAM na revista Teste Saúde (Suplemento de DECO)

20-04-2018

Foi publicada na edição 132 de abril/maio 2018 da Revista Teste Saúde uma reportagem sobre a Investigação desenvolvida por Investigadores do CESAM, na área de Saúde & Ambiente. 
A reportagem contou com a participação dos Investigadores Sónia Rodrigues (DQ/CESAM), Isabel Henriques (DBIO/CESAM), Ricardo Calado & Fernando Ricardo (DBIO/CESAM) e Bruno Nunes (DBIO/CESAM), focando tópicos como a reabilitação de terrenos, bactérias resistentes e peixe sob vigilância.

Cinco novos pseudoescorpiões descobertos em Portugal

19-04-2018

Cinco novas espécies de pseudoescorpiões foram descobertas em grutas do Algarve, Alentejo, Penela e Leiria pela bióloga Ana Sofia Reboleira que, na hora de batizar uma das espécies, a Occidenchthonius goncalvesi, homenageou Fernando Gonçalves, professor do Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro (UA). As descobertas aumentam para 49 as novas espécies descritas ao longo da última década pela espeleóloga e investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da UA.

Proteção ambiental na Antártica no âmbito do projecto ReACT

18-04-2018

O trabalho de campo, na Antártida, do Projeto ReACT (Risk assessment in Fildes Peninsula improving knowledge towards environmental protection ACTions in the Antarctica), liderado por Joana Luísa Pereira (CESAM), foi completado com sucesso. A equipa envolvida nesta missão, composta por Joana Luísa Pereira (CESAM e Dbio-UA), Guilherme Jeremias (DBio-UA) e Ruth Pereira (FCUP), está agora de regresso a Portugal, onde, conjuntamente com os restantes elementos da equipa do projeto em várias instituições do SCTN (UA, FCUP, IST), iniciarão a análise das amostras recolhidas. Apesar das limitações impostas pelas condições climatéricas que reduziram o tempo de permanência na base Chilena Julio Escudero, localizada na Ilha de King George, a equipa conseguiu alcançar os objetivos a que se tinha proposto, nomeadamente o cumprimento de um extenso desenho de amostragem de solos e de lagos, que permitirá a realização de uma avaliação de risco para o apoio a decisões futuras de proteção da área estudada. Esta será a primeira vez que um esquema de avaliação de risco ambiental é aplicada em regiões polares, no âmbito de mais um projeto financiado pelo Programa Polar Português, que muito tem contribuído para marcar a posição de Portugal na investigação em zonas polares. Apesar do curto e encurtado período de permanência na Antártida, e da exigência do trabalho efetuado, não faltaram as oportunidades para observar a diversidade, a profunda beleza e grandeza das paisagens da Antártida.

Diversas entidades de Portugal participam no projeto europeu CEPHS AND CHEFS.

16-04-2018

No passado mês de dezembro de 2017 teve início o projeto INTERREG “Cephs and Chefs”, financiado por fundos Europeus, com a reunião de lançamento na localidade irlandesa de Galway. Este projeto pretende criar novos mercados e acrescentar valor aos cefalópodes (polvo, lulas e choco), bem como avaliar de forma integrada estes recursos em diferentes regiões do “Espaço Atlântico” (Espanha, Portugal, França, Reino Unido e Irlanda) e apoiar a cooperação transnacional entre estas regiões.

Em Portugal e Espanha, ao contrário dos restantes países do “Espaço Atlântico”, existe uma forte tradição de consumo de cefalópodes e um grande investimento na investigação destes recursos pesqueiros. Com o objetivo de fomentar o consumo sustentável destas espécies na região Atlântica, instituições portuguesas, nomeadamente a Universidade de Aveiro, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e a Associação de Armadores de Pesca de Fuzeta (AAPF) colaboram com parceiros internacionais como a National University of Ireland Galway, o Galway Major Institute of Technology e o Irish South and West Fish Producers Organization CLG  da Irlanda, o  Marine Stewardship Council (MSC) e Atlantic Gate Ltd. do Reino Unido, a Université de Caen Normandie de França, a Universidad de Santiago de Compostela, o Centro Oceanográfico de Vigo do Instituto Español de Oceanografía, a empresa Quadralia e a Cooperativa de Armadores de Pesca del Puerto de Vigo (ARVI) de Espanha.

A próxima reunião do projeto ocorrerá em Vigo (Espanha) durante o mês de julho nos dias prévios à VIGO SEAFEST. Este festival é um evento gastronómico em torno dos produtos do mar e será visitado pelos representantes das diversas entidades envolvidas no projeto.

Novo método para cálculo da dispersão de larvas marinhas

11/04/2018

Foi descrito um novo método, por investigadores das Universidades de Aveiro (UA), Melbourne, Vigo e Ghent que permite chegar ao cálculo da dispersão de larvas de várias espécies marinhas, fundamental para perceber a ecologia das espécies e para, entre outras aplicações, estabelecer critérios de delimitação de áreas marinhas protegidas.

Mais detalhes: http://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?c=54120

Frank Verheijen (CESAM, DAO, UA) will present UTILIZAÇÃO DE BIOCHAR PARA O MELHORAMENTO DE SOLOS at AgroIn 2018: EcoInovação, Estoril, 18th April 2018

11/04/2018

Chama-se Biochar, é um tipo de carvão produzido a partir de biomassa, permite reduzir o dióxido de carbono na atmosfera, melhorar o solo e gerar energia limpa durante o seu fabrico. Frank Verheijen, especialista em solos da Universidade de Aveiro e pioneiro nas experiências com biochar em explorações agrícolas portuguesas, vai explicar como tirar partido deste carvão que pode revolucionar a gestão da erosão dos solos.


O desafio é conjugar explorações agrícolas produtivas, rentáveis e eficientes com a conservação dos recursos naturais. Em suma, queremos SUSTENTABILIDADE com um racional económico, e rentabilidade com uma preocupação ambiental. As práticas agrícolas sustentáveis são essenciais para o combate às ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS e ao aquecimento global. Num país mediterrânico, onde ciclos de secas e de chuvas concentradas se intensificam cada vez mais, esta é uma realidade que não pode passar ao lado. Mas produzir alimentos seguros, de qualidade e em quantidade só é possível com o uso eficiente dos recursos. Nesta equação, a INOVAÇÃO faz toda a diferença. E é precisamente por aqui que queremos que passe esta edição do AGROIN 2018: ECOINOVAÇÃO

http://www.vidarural.pt/agroin/