HOME  »  Notícias
 
Estudo publicado na Nature com a participação de José Alves, Biólogo do DBio / CESAM

24/11/2016

Nota de imprensa da Nature: Comportamento animal: como partilham as aves limícolas as atenções parentais?

Quando se trata de partilhar responsabilidades parentais, as aves alteram o seu comportamento fazendo turnos para incubar os ovos, mas este comportamento varia consideravelmente entre espécies, segundo um estudo publicado na revista Nature. Na maioria dos casos estes turnos de cuidados parentais não se regem pelo ritmo circadiano determinado pelos períodos de luz (durante o dia) e escuridão (durante a noite) a cada ciclo de 24 horas, mas sim pela estratégia anti-predadora adoptada pelas diferentes espécies.

Os investigadores analisaram dados de 729 ninhos pertencentes a 32 espécies de aves limícolas, para perceber como estas aves são capazes de sincronizar as suas rotinas diárias para fazer turnos a incubar os ovos. Os padrões são altamente variáveis entre espécies, até mesmo quando as condições ambientais são similares. O período de cada turno de incubação pode variar entre uma e 19 horas consecutivas, existindo semelhanças nos padrões de espécies mais aparentadas. Segundo os autores, a forma como os pais sincronizam os seus ritmos diários parece estar associada à forma como estas aves protegem o seu ninho de potenciais predadores. Espécies que não escondem os seus ninhos e/ou activamente perseguem predadores têm turnos de incubação mais curtos, enquanto aquelas que usam uma estratégia de camuflagem têm turnos mais longos, aparentemente para evitar revelar a localização do ninho aos predadores.

A variação encontrada na sincronização destes ritmos sociais observados em aves selvagens é muito mais ampla do que a indicada pelos estudos em cativeiro e mostra que as relações sociais podem ser uma força determinante em certos comportamentos, sobrepondo-se aos ritmos circadianos.

Mais informação em:
http://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?c=48390
https://www.publico.pt/2016/11/24/ciencia/noticia/aves-turnos-parentais-nao-dependem-da-fome-ou-do-frio-mas-do-perigo-1752269

Link para o artigo original na Nature: http://dx.doi.org/10.1038/nature20563

Researcher at CESAM / DBio, co-authored a paper recently published in The Lancet Infectious Diseases

23/11/2016

Adelaide Almeida, Researcher at CESAM/DBio, co-authored a paper recently published in The Lancet Infectious Diseases, a journal with an Impact Factor of 21.372 (5-Year Impact Factor: 19.297)

The work “Photoantimicrobials—are we afraid of the light?” provide a Personal View about the abusive use of conventional antimicrobial drugs, which have been assumed as miraculous cure-alls for the past 80 years, causing increasing antimicrobial drug resistance. As alternative, the authors raise awareness of novel photoantimicrobial technologies that offer a viable substitute to conventional drugs in many relevant application fields, and could thus slow the pace of resistance development. The authors discussed photoantimicrobials (light-activated molecules that act locally via the in-situ production of highly reactive oxygen species) and their uses and prospects for adoption as mainstream clinical antimicrobials in the fight against conventional drug resistance.

More details in: http://uaonline.ua.pt/pub/deta.....&lg=pt
Full paper: http://dx.doi.org/10.1016/S1473-3099(16)30268-7

Researchers at CESAM/DAO, co-authored a Review paper listed in the Most Cited Atmospheric Research Articles

23/11/2016

Célia Alves and Ana Vicente, Researchers at CESAM/DAO, co-authored a Review paper listed in the Most Cited Atmospheric Research Articles published since 2011, extracted from Scopus

The paper “Research on aerosol sources and chemical composition: Past, current and emerging issues” provide a quantitative and predictive understanding of atmospheric aerosols, beginning with a historical perspective on the scientific questions regarding atmospheric aerosols over the past centuries, followed by a description of the distribution, sources, transformation processes, and chemical and physical properties as they are currently understood. This review outlines the major open questions and suggestions for future research priorities to narrow the gap between the present understanding of the contribution of both anthropogenic and biogenic aerosols to radiative forcing resulting from the spatial non-uniformity, intermittency of sources, unresolved composition and reactivity.

More details in the full paper: http://www.sciencedirect.com/s.....9512003237

Especialistas internacionais recomendam mais conhecimento sobre a pesca recreativa marítima

21/11/2016

É urgente conhecer melhor a pesca recreativa na costa Atlântica Ibérica através da recolha de dados ecológicos, sociais e económicos. Quem o afirma é um grupo de 40 especialistas internacionais, reunidos no I Workshop sobre a Pesca Recreativa no Litoral Ibérico Atlântico, a 11 e 12 de novembro, em Vigo (Espanha), entre os quais esteve a investigadora da Universidade de Aveiro, Cristina Pita (CESAM/DAO).

Os especialistas reunidos no I Workshop sobre a Pesca Recreativa no Litoral Ibérico Atlântico recomendam ainda aos responsáveis de diversos organismos representativos do sector que se construam pontes para fortalecer as relações entre agentes do sector, gestores, pesca profissional e ciência. Por outro lado, aponta-se a necessidade de um reforço do associativismo e da formação dos pescadores recreativos para incrementar iniciativas de colaboração com cientistas e diminuir os conflitos com outros utilizadores dos ecosistemas. Entre os conflitos enumerados, contam-se os conflitos com o turismo e com a pesca comercial.

O director Geral de Pesca da Junta da Galiza, Juan Maneiro, inaugurou o encontro, no qual participaram cientistas, membros de diferentes administrações, pescadores profissionais e recreativos, representantes de organizações não governamentais de ambiente e de outras organizações. Cristina Pita é investigadora do Departamento de Ambiente e Ordenamento e do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM), laboratorio associado da UA.

O workshop foi organizado pela Federación Gallega de Pesca Marítima Responsable y Náutica de Recreo, WWF-Espanha, Federación Gallega de Actividades Subacuáticas, International Forum for Sustainable Underwater Activities, universidades de Santiago de Compostela, Minho e Aveiro e contou com o apoio da Xunta de Galicia, da Confederación Española de Pesca Recreativa Responsable e Federación Galega de Confrarías de Pescadores..

Mais informação:
http://www.taller.verdeprofundo.net />http://uaonline.ua.pt/pub/deta.....

Investigadora do CESAM participa num Simposio na Coreia

11/11/2016

Ana Lillebø, investigadora do CESAM, foi convidada, pelo Instituto Marítimo da Coreia, a participar no ‘4th International Symposium and workshop on Marine Ecosystem Services and Marine Spatial Planning & Mangement’ que decorreu em Seoul.

Ao longo das últimas décadas, os países asiáticos têm vindo a estabelecer mecanismos legais e institucionais para o desenvolvimento sustentável. Neste sentido, por exemplo, o KMI (Korea Maritime Institute), em estreita colaboração com o PEMSEA (Partnerships in Environmental Management for the Seas of East Asia), tem organizado, desde 2013, workshops internacionais relacionados com a ligação sinergética entre os serviços de ecossistemas marinhos e os planos de ordenamento do espaço marítimo.

Neste simpósio, que decorreu nos dias 27 e 28 de outubro, especialistas convidados do Leste Asiático e de países ocidentais partilharam experiências ao nível da valorização dos serviços dos ecossistemas (SE) e do desenvolvimento de ferramentas para a gestão do espaço marítimo de forma a encontrar mecanismos que incorporem a valorizarão destes serviços nos mecanismos de gestão e planeamento do espaço marítimo com benefícios inequívocos para a sociedade global.

Investigação inédita do DAO/CESAM estuda efeito do biochar em vinhas

8/11/2016

Pela primeira vez, um grupo de cientistas da Universidade de Aveiro (UA) está a experimentar usar biochar para combater a erosão do solo numa vinha, em Amoreira da Gândara, Anadia. O trabalho mundialmente inédito pretende saber de que forma este tipo de carvão produzido a partir de biomassa pode melhorar a infiltração da água dos solos em vinhas.

A investigação é conduzida pela ‘Earth Surface Processes (ESP) team’ (equipa de investigação de Processos da Superfície Terrestre), uma equipa de investigadores do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da UA, coordenada por Jacob Keizer. Este trabalho está inserido no projeto Mediterranean Agricultural Soils Conservation under global Change (MASCC), financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia no âmbito do programa ARIMNET, com João Pedro Nunes como investigador principal da parte portuguesa.

Com a incorporação do biochar no solo, a equipa ESP espera uma redução do escoamento de águas em 10 a 50 por cento e uma redução de 20 a 60 por cento na erosão do solo. Percentagens que, apontam os investigadores, “significam que mais água irá ficar armazenada no solo após a precipitação, facto que pode beneficiar tanto a vinha como a qualidade dos cursos de água”.

O estudo da utilização de biochar na produção agrícola em Portugal está hoje a dar os primeiros passos através de uma equipa interdisciplinar de investigadores do DAO, do Departamento de Biologia e do CESAM da UA.

Mais informação em: http://uaonline.ua.pt/pub/deta.....

Investigação da UA publicada pela Science for Environment Policy

3/11/2016

Um trabalho de investigadores dos Departamentos de Biologia e Física da UA e do CESAM, em parceria com a Universidade de Melbourne, foi selecionado para ser publicado pela Science for Environment Policy, um serviço de informação fornecido pela Direcção-Geral de Ambiente da Comissão Europeia. Este serviço da CE seleciona cuidadosamente resultados de investigação de qualidade para estabelecer e implementar políticas ambientais eficazes.

Neste caso em particular, o mexilhão Mytilus galloprovincialis foi utilizado para investigar a conectividade entre as áreas marinhas protegidas (AMPs) das Berlengas e da Arrábida em Portugal, ambas parte da rede Natura 2000 de zonas protegidas na Europa. A composição geoquímica das conchas de mexilhão foi usada para delinear as rotas de dispersão de larvas de mexilhões, demonstrando que a AMP da Arrábida é uma importante fonte de população na área.

Os resultados deste estudo apoiam as medidas do Plano de Gestão de 2005 para esta AMP, que proibiu a pesca de arrasto, dragagem e colheita de bivalves, de forma a preservar o seu papel como viveiro para muitas espécies marinhas. Estas medidas directas de conectividade e dinâmica populacional podem constituir uma poderosa ferramenta para informar os agentes políticos sobre a conservação e gestão de redes de áreas protegidas em ecossistemas marinhos costeiros.

Fonte: Gomes, I., Peteiro, L.G., Albuquerque, R., Nolasco, R., Dubert, J., Swearer, S.E. & Queiroga, H. (2016) Wandering mussels: using natural tags to identify connectivity patterns among Marine Protected Areas. Marine Ecology Progress Series. DOI: 10.3354/meps11753

Mais informação em: http://uaonline.ua.pt/pub/deta.....mp;c=48170

Conferência internacional FUEGORED 2016, 23 a 26 de novembro, Universidade de Aveiro

2/11/2016

Conferência internacional FUEGORED 2016
23 a 26 de novembro 2016, Universidade de Aveiro, Portugal

A Conferência internacional FUEGORED 2016 decorrerá nos próximos dias 24 a 26 de Novembro na Universidade de Aveiro, e irá contemplar dois dias de visitas técnicas de campo intercalados com um dia de seminário para apresentação e discussão de trabalhos científicos nas mais diversas temáticas relacionadas com a gestão florestal após incêndio e, em geral, os efeitos de fogo nos ecossistemas terrestres e aquáticos.

O Programa detalhado das apresentação encontra-se em anexo.

Toda a informação disponível no site da evento: http://fuegored2016.web.ua.pt/conferencia.html

Spin-off da UA é uma das 12 portuguesas financiadas pelo programa europeu para PME

28/10/2016

Concurso do programa SME Instrument recebeu quase 2000 candidaturas de 40 países.

Depois de ter sido galardoada com o selo de excelência da Comissão Europeia, no âmbito do programam Horizonte 2020, a spin-off DNA TRUSTAG, nascida na Universidade de Aveiro (UA), foi financiada com 50 mil euros, na fase 1 do concurso SME Instrument, no âmbito de outra área do mesmo programa. Esta spin-off foi uma das 12 portuguesas financiadas entre quase 2000 candidatas de 40 países.

O selo de excelência da Comissão Europeia já certificava o caráter inovador e o potencial de comercialização da tecnologia criada no Departamento de Biologia e Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM), da UA, com patente registada com apoio da Unidade de Transferência de Tecnologia da UA (UATEC), e licenciada pela empresa DNA TRUSTAG. Agora, chegou o financiamento através do mesmo programa da Comissão, o SME Instrument, dedicado ao apoio a PME, e após uma candidatura do plano de negócios à área de segurança deste programa.

A tecnologia que permite a produção de códigos únicos de DNA apresentada por esta spin-off foi das candidaturas com melhor pontuação, no contexto de um concurso extremamente competitivo ao qual concorreram milhares de projetos de 40 países. Newton Gomes e Francisco Coelho formam a equipa dinamizadora desta spin-off.

Mais informação: http://uaonline.ua.pt/pub/deta.....

UA estuda dispersão das lamas depois da tragédia do Rio Doce

21/10/2016

Investigação do Núcleo de Modelação Estuarina e Costeira do Departamento de Física

Construída para acomodar os desperdícios provenientes das minas de ferro da região de Mariana, no estado brasileiro de Minas Gerais, a rotura em 2015 da barragem do Fundão causou um dos maiores desastres ambientais no Brasil. A lama libertada pelo desastre atingiu o Rio Doce e, através deste, o Oceano Atlântico com consequências que só agora conseguem ser quantificadas. Da Universidade de Aveiro (UA), através da análise de imagens de satélite e do desenvolvimento de um modelo numérico que simula a dispersão da água de origem fluvial no Atlântico, chegou uma ajuda importante para perceber o real impacto da tragédia.

O trabalho, um dos primeiros a ser realizado sobre a tragédia do Rio Doce, envolveu os investigadores Renato Mendes e João Miguel Dias do Núcleo de Modelação Estuarina e Costeira do Departamento de Física / CESAM em parceria com os investigadores Martinho Marta-Almeida (antigo aluno e investigador da UA), Fabíola Amorim da Universidade Federal do Espirito Santo (também antiga aluna e investigadora da UA) e ainda Mauro Cirano da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Desde a sua publicação na Marine Pollution Bulletin, a mais prestigiada revista sobre poluição marinha, que este trabalho conjunto entre investigadores portugueses e brasileiros esteve várias semanas entre os artigos mais lidos publicados pela UA e foi o mais lido do CESAM.

Mais informação em: http://uaonline.ua.pt/pub/deta.....mp;c=47997