HOME  »  Notícias
 
Marina Cunha, bióloga da UA e CESAM, entre os autores do documento “Ir mais Fundo: Desafios Cruciais da Investigação do Mar Profundo no Século XXI”

02/09/2015

Relatório europeu pede mais investigação do mar profundo

Elaborado por um grupo de cientistas, incluindo Marina Cunha, bióloga da UA e CESAM, o relatório intitulado “Ir mais Fundo: Desafios Cruciais da Investigação do Mar Profundo no Século XXI” identifica as prioridades para a investigação do mar a profundidades superiores a 200 metros com o objetivo de se reforçar a gestão e a exploração futura dos seus recursos vivos e não-vivos. Pedido pelo European Marine Board (EMB), o relatório foi lançado dia 1 de setembro, no 14º Simpósio da Biologia do Mar Profundo, que está a decorrer em Aveiro.

Poderá ser efetuado o download do relatório aqui.

Mais informações em:
http://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?c=43455 
http://www.publico.pt/ciencia/.....io-1706318

UA recebe o 14th Deep-Sea Biology Symposium

28/08/2015

De 31 de agosto a 4 de setembro no Centro Cultural e de Congressos de Aveiro

O 14th Deep-Sea Biology Symposium vai reunir mais de 400 cientistas de todo o mundo em redor do maior ecossistema da Terra, o fundo do mar. Organizado pela Universidade de Aveiro (UA), o encontro pretende abordar os temas mais emergentes que aos fundos oceânicos dizem respeito. A perturbação ambiental do mar profundo ligada à exploração de recursos bióticos e abióticos, como a pesca de arrasto ou a exploração de minerais, petróleo e gás, e as questões de governança, gestão de áreas marinhas protegidas e conservação dos ecossistemas são alguns dos temas que estarão em destaque de 31 de agosto a 4 de setembro no Centro Cultural e de Congressos de Aveiro.

Desde a sua primeira edição, em 1977, os simpósios têm constituído inestimáveis fóruns para intercâmbio de informações sobre as mais recentes explorações de profundidade e avanços científicos. Além disso, os simpósios, lembra a organização encabeçada pelo Departamento de Biologia da UA, “também foram fontes de cooperação e formação de novos grupos de pesquisa e projetos”.

Está prevista a publicação de um volume especial em "Deep-Sea Research Part II: Topical Studies in Oceanography ".

Ainda no âmbito deste simpósio, o European Marine Board (EMB) convida os investigadores a participarem no evento de lançamento do position paper 22 “Delving Deeper: Critical challenges for 21st century deep-sea research”, no dia 1 de setembro no Pequeno Auditório, às 18:00. O paper é da autoria do EMB Working Group (WG) “Deep Sea Research for Societal Challenges and Policy Needs” e indica oito metas de alto nível para investigação do alto mar profundo no contexto da expansão das atividades comerciais, aumentando as pressões naturais e humanas, e a necessidade de estruturas eficazes e práticas de governação para apoiar a gestão das atividades e recursos do alto mar.

Para mais informações consulte o press release do evento aqui.

Toda a informação sobre o 14th Deep-Sea Biology Symposium pode ser vista aqui.

Atividade do DBio/CESAM ilustra programa “Laboratórios de Natureza” da SIC

27/8/2015

On 30 August, at 12.10 am, in space BBC Wildlife

A atividade desempenhada por alguns dos muitos grupos de investigação do CESAM e Departamento de Biologia (DBIO) da Universidade de Aveiro (UA) ilustra o programa “Laboratórios de Natureza”, a estrear brevemente na SIC, no espaço da BBC Vida Selvagem. Desde a biodiversidade animal e vegetal, passando pelo mar profundo, das nanopartículas até à resistência microbiana aos antiobióticos, iniciando com exemplos do trabalho de reabilitação dos mamíferos marinhos, este programa apresenta 5 exemplos do trabalho desempenhado no Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro. Acompanhe a odisseia destes biólogos da UA, e saiba como as suas descobertas contribuem para proteger o Mundo em que vivemos.

Veja uma pequena amostra do que irá ser esse programa em: https://vimeo.com/134003333

Docente do Departamento de Física da UA analisa o problema da seca em Portugal na RTP Informação e no Porto Canal

24/08/2015

José Castanheira, especialista em meteorologia e clima e Diretor do Mestrado em Meteorologia e Oceanografia Física da UA, esteve no Jornal Diário do Porto Canal e participou num debate no programa Edição Especial da RTP Informação para analisar o problema da seca hidrológica em Portugal.







Veja os vídeos em:
https://video-mxp1-1.xx.fbcdn.net/hvideo-xfp1/v/t42.1790-2/11959882_930064250383733_1475060151_n.mp4?efg=eyJybHIiOjM2NywicmxhIjoxOTcwfQ%3D%3D&rl=367&vabr=204&oh=c51c6beeaf3634a05955d0a48273e2a9&oe=55DC4D81     
https://video-mxp1-1.xx.fbcdn.net/hvideo-xpa1/v/t43.1792-2/11832391_690552087712463_562243687_n.mp4?efg=eyJybHIiOjE1MDAsInJsYSI6MzE2NH0%3D&rl=1500&vabr=300&oh=16df07180f008ea228001bcfc5f2176a&oe=55DC53FB

Fundo Escolar BIO Somos Todos atribui Subsídio de regresso às aulas a crianças que apresentem projetos ambientais ou sociais mais originais

20/08/2015

Depois de ganhar o duplo prémio internacional Terre de Femmes no passado mês de abril, a bióloga Milene Matos, da UA, reforça a intenção de devolver ao público, na forma de oportunidades educativas, o prémio que resultou da votação pública. Após o encerramento das candidaturas a uma bolsa de mestrado, em parceria com a UA, a bióloga anuncia agora a criação do Fundo Escolar BIO Somos Todos, que visa contribuir para a promoção da consciência ambiental e social em crianças portuguesas até aos 14 anos. Consiste num subsídio de regresso às aulas no valor de 200 euros para crianças do 1º ciclo e 250 euros para crianças do 2º ciclo, de modo a aliviar o regresso às aulas que infelizmente muitas famílias enfrentam com dificuldades.

Até 13 de setembro, as crianças terão de apresentar um projeto a desenvolver ao longo do ano letivo, que ajude o ambiente ou a sua comunidade, e o subsídio será entregue à(s) proposta(s) mais original(is).

Mais informação em: http://uaonline.ua.pt/pub/deta.....

Estudante de Biologia da UA, Bárbara Cartagena Matos, ganha Bolsa Fulbright

30/07/2015

Bárbara Cartagena Matos, estudante de mestrado em Biologia da Universidade de Aveiro (UA), é um dos dez cientistas portugueses que, durante o ano letivo 2015/2016, vão ser financiados pelo Estado norte-americano para prosseguir os seus projetos de investigação nalgumas das mais prestigiadas universidades e centros de investigação dos Estados Unidos, ao abrigo do programa de bolsas atribuídas anualmente pela Comissão Fulbright.

Já estudou grilos na Finlândia, macacos-barrigudos na Amazónia, golfinhos no Rio de Janeiro e baleias no Atlântico e mal pode esperar por 2016 para embarcar rumo ao Alasca onde vai estudar os hábitos alimentares das lontras-marinhas na zona de Sitka. De abril a setembro do próximo ano a bióloga estará no mais “maravilhoso e único laboratório natural" que o planeta tem à disposição dos cientistas na Natureza.

Com uma duração que pode ir de quatro a nove meses, as bolsas Fulbright de Investigação destinam-se a investigadores de todas as áreas do conhecimento, desde que sejam licenciados, tenham bons conhecimentos de inglês e um projeto aceite por parte da instituição de acolhimento.

Para mais detalhes: http://uaonline.ua.pt/pub/deta.....mp;c=43327

Taking charge of air quality control in Europe’s smart, green cities

30/07/2015

A COST funded network of European spin-offs, SMEs, agencies, research centres and universities, including UA through IDAD, is working on developing cheaper and energy efficient sensors for air quality control in Europe’s future smart cities.

Air pollutants in the EU are still estimated to reduce life expectancy by eight months and are directly linked to climate change. EuNetAir network is now trying to develop affordable, low-power sensors to assess indoor and outdoor air quality and eventually reduce greenhouse gases and other toxic pollutants. The COST Action will also look into environmental sustainability and ways of better managing green buildings at low carbon dioxide (CO2) emissions.

COST Story: http://www.cost.eu/media/cost_stories/EuNetAir

Investigação do Departamento de Biologia e CESAM distinguido em congresso internacional

22/7/2015

Cátia Venâncio, doutoranda do Departamento de Biologia e CESAM, foi distinguida com o prémio para melhor póster no 10º Congresso Ibérico e 7º Iberoamericano de Contaminação e Toxicologia Ambiental, que decorreu em Vila Real, de 14 a 17 de julho, com um trabalho que pretendeu avaliar os efeitos do aumento de salinidade, devido a intrusões de água do mar, no crescimento de quatro espécies de fungos, ao longo de várias gerações: Pleurotus sajor caju, Phanaerochaete chrysosporium, Rhizopus oryzae, e Trametes versicolor.

Este trabalho foi desenvolvido no âmbito do projecto SALTFREE - Prediction of salinization effects on coastal freshwater and soil ecosystems due to climate changes.

Mais informação em: http://uaonline.ua.pt/pub/deta.....

Investigadora do CESAM / Departamento de Biologia da UA transforma prémio internacional que lhe foi atribuído em Prémio para o público “UA – BIO Somos Todos”

14/7/2015

Milene Matos, investigadora do CESAM / Departamento de Biologia da UA, que, no ano passado, venceu o prémio internacional “Terre de Femmes”, decidiu reverter esse prémio novamente para o público através de oportunidades educativas. Através de uma parceria entre a UA e o projeto “BIO Somos Todos”, projeto de promoção dos valores naturais e da sustentabilidade coordenado por Milene Matos, o dinheiro do prémio garantirá a atribuição de uma bolsa que corresponde ao pagamento de propinas de um curso mestrado da UA, durante dois anos. O Prémio “UA – BIO Somos Todos” visa contribuir para a promoção e o desenvolvimento da investigação científica no âmbito da sustentabilidade nas suas três componentes: ambiental, económica e social. Em concreto, distingue uma proposta de trabalho de investigação ao nível de mestrado, na área da sustentabilidade, que se evidencie “pelo seu caráter inovador, utilidade pública, benefícios ambientais e potencial de replicabilidade”.

Mais informação em:
http://www.diarioaveiro.pt/not.....tudo />http://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?c=43154 />https://www.facebook.com/biosomostodos?fref=ts />http://www.jornaldamealhada.co.....

Investigadores do Dep.Eng.Mecânica e do CESAM/DQ, UA desenvolvem chá de grafeno para descontaminar águas com metais pesados

13/7/2015

À primeira vista parecem saquinhos de chá. E são mesmo. Mas, ao contrário do que se poderia pensar, não servem para fazer infusões mas para descontaminar águas contaminadas com metais potencialmente tóxicos. Dentro dos saquinhos, não há por isso folhas nem flores mas óxido de grafeno. Esta aplicação ambientalista para o grafeno, desenvolvida por investigadores do Departamento de Engenharia Mecânica e do CESAM/Departamento de Química da UA, promete ajudar a resolver o problema global que representa a água contaminada com metais tóxicos que é diariamente libertada nos sistemas aquáticos do planeta. É que nem os mais avançados e caros processos de descontaminação conseguem taxas de remoção quase totais como esta infusão.
Para além da facilidade de síntese e do baixo custo de produção, este sistema permite também a respetiva aplicação em locais que não possuam infraestruturas específicas para descontaminar águas contaminadas com metais.

Mais detalhes em: http://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?c=43179
http://www.cienciahoje.pt/inde.....amp;op=all
http://www.publico.pt/ciencia/.....ua-1702039
http://diariodigital.sapo.pt/n.....ews=781680