HOME  »  Notícias
 
CESAM no Diário Económico
MAR E AMBIENTE DE MÃOS DADAS
NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO 300 INVESTIGADORES TRABALHAM NO DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PROJECTOS PARA APROVEITAR TODAS AS POTENCIALIDADES DO MAR

À beira-mar plantada e rodeada de água por quase todos os lados, resultado da proximidade da ria, seria pouco provável que a Universidade de Aveiro escapasse à investigação que envolve o mar. São diversos os departamentos da instituição de ensino envolvidos em estudos a ele ligados, mas a grande maioria dessas investigações estão associadas ao CESAM - Centro de Estudos do Ambiente e do Mar da Universidade de Aveiro. Trata-se de uma das unidades de I&D do Instituto de Investigação da Universidade de Aveiro que tem, desde 2005, estatuto de Laboratório Associado, atribuído pelo Ministério da Ciência, Inovação e Ensino Superior. Em termos de investigação, o CESAM trabalha em cinco grandes linhas de actuação. Em causa estão a qualidade da atmosfera, química analítica e ambiental, ecotoxicologia e biologia do stress, ecossistemas marinhos e modelação e gestão integrada de bacias hidrográficas. O centro integra membros de cinco departamentos da Universidade (Ambiente, Biologia, Física, Geociências e Química), sendo composto por mais de 300 investigadores, dos quais 108 são doutorados, a desenvolver investigação na área do ambiente Costeiro e Marinho. O laboratório tem como principais atribuições criar e divulgar novos conhecimentos científicos nas suas áreas de trabalho, desenvolver e promover programas de formação e de investigação e contribuir para a resolução de problemas ambientais à escala regional e global. Em causa estão ainda a gestão integrada da zona costeira portuguesa e a prestação de serviços especializados na área do ambiente costeiro. De entre as dezenas de projectos que o laboratório tem em curso, ficam dois exemplos de peso. Projecto MVSEIS Descobrir petróleo em profundidade Trata-se de uma investigação em vulcanismo de lama, hidratos de gás e estruturas associadas ao escape de fluidos ricos em hidrocarbonetos na margem sul portuguesa e Golfo de Cádiz. Nos vários cruzeiros efectuados pela equipa de investigadores foram recuperados hidratos de gás e detectadas inúmeras ocorrências de gás termogénico, associadas a ocorrências de petróleo em profundidade. A coordenação do projecto está a cargo do professor Luís Menezes (Universidade de Aveiro) e a equipa envolve geólogos, geofísicos, geoquímicos, biólogos e microbiólogos dos diversos países envolvidos (Portugal, Espanha, França e Bélgica). O MVSEIS, que decorre até 2009, conta com um financiamento de 220 mil euros da Fundação Europeia da Ciência. Projecto HERMES Pesquisa de ecossistemas nas margens dos mares O projecto HERMES (sigla de Hotspot Ecosystem Research on the Margins of European Seas) visa aumentar o conhecimento da biodiversidade, estrutura e funcionamento dos ecossistemas da margem continental europeia, para que sejam tomadas as melhores decisões a nível de política oceânica. As áreas de estudo estendem-se desde o Árctico ao Mar Negro, incluem os taludes continentais e os focos de biodiversidade como fontes de fluidos frios ricos em hidrocarbonetos, recifes de coral profundo, desfiladeiros submarinos e ambientes anóxicos, onde os factores geológicos e a circulação oceânica assumem uma influência determinante no desenvolvimento dos ecossistemas. Os resultados do projecto serão integrados na primeira estrutura pan-europeia de um Sistema de Informação Geográfica abrangente. A base de dados permitirá prever alterações na biodiversidade, contribuindo para a definição da melhor Política Europeia Integrada de Governança dos Oceanos. Marina Cunha é a investigadora responsável pelo projecto, que decorre até Março do próximo ano, e contou com um financiamento de 15 milhões de euros da Comissão Europeia, 113 mil concedidos à Universidade de Aveiro.