HOME  »  Notícias
 
INCÊNDIOS EM PORTUGAL: O Antes, o Durante... e o Depois

Ciclo de Eventos “Na (des)Ordem do Dia”:


INCÊNDIOS EM PORTUGAL: O Antes, o Durante... e o Depois


Com a participação de: Celeste Coelho (DAO-UA), Paulo Fernandes (UTAD), Xavier Viegas (DEM-UC), Ana Isabel Miranda (DAO-UA), Jacob Keiser (DAO-UA) e Carlos Borrego (moderador)


Dia 13 de dezembro pelas 17:30 no Anfiteatro Dep. Ambiente – UA


ENTRADA LIVRE

SmartBioR. Este é o nome de um programa inovador no contexto do uso sustentável dos Recursos Biológicos Marinhos, apresentado pela Universidade de Aveiro no dia do Mar.

A Universidade de Aveiro assinala o Dia do Mar com o lançamento de um programa de Valorização dos recursos Biológicos Marinhos Endógenos – SmartBioR. O evento decorreu no ECOMARE, Laboratório para a Inovação e Sustentabilidade dos Recursos Biológicos Marinhos da Universidade de Aveiro, e contou, entre outros, com a presença do Senhor Reitor da Universidade de Aveiro Prof. Doutor Manuel António Assunção, Prof. Doutor Amadeu Soares, Diretor do Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro e responsável pelo projeto, Prof. Doutor Rui Pedrosa, vice-Presidente do Instituto Politécnico de Leiria, Dra. Isabel Damasceno, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro e representantes dos Grupos de Ação Costeira / Desenvolvimento Local de Base Comunitária, entre a zona de Aveiro e de Peniche e da Agência Portuguesa da Ambiente (APA-ARH Centro).


Coordenado pela Universidade de Aveiro, e desenvolvido em parceria com o Instituto Politécnico de Leiria, o programa SmartBioR tem como objetivos a sustentabilidade, preservação e valorização dos recursos marinhos endógenos, recorrendo ao conhecimento cientifico de excelência e inovação tecnológica para a sua monitorização e gestão integrada. Para tal, destaca-se a contratação de recursos humanos, altamente qualificados, detentores de conhecimento científico que complementam as valências, já consolidadas, das instituições de envolvidas. As atividades de investigação e inovação estão organizadas de acordo com os dois ecossistemas correspondentes à ação territorial dos membros do consórcio: Ria de Aveiro, sitio da rede natura 2000 e área de Proteção especial da UE, a cargo da Universidade de Aveiro, e Berlengas, Reserva da Biosfera da UNESCO e áreas costeiras ao longo da região Centro Oeste de Portugal, a cargo do Instituto Politécnico de Leiria.


A Universidade de Aveiro, reforçando a sua missão de cooperação com a sociedade na transferência de conhecimento e tecnologia incorpora esta ideia ao propor-se, no âmbito do SmartBioR, ao desenvolvimento de produtos, processos e serviços que dinamizem as cadeias de valor associadas aos recursos marinhos naturais endógenos. As aplicações são as mais diversas, desde a aquacultura sustentável, farmacêutica, gestão costeira e gestão de stocks piscícolas, até â proteção dos ecossistemas marinhos.


Contribuir para a Conservação e Valorização da Biodiversidade Marinha é um desígnio da Universidade de Aveiro, que nos últimos anos tem criado infraestruturas e consolidado e reforçando equipas de investigação na área do Mar. 

Enviphage project - Bacteriófagos são uma eficiente alternativa ao uso de antibióticos em aquacultura

O projeto Enviphage, envolvendo investigadores de AZTI, Biopolis S.L. (Espanha), Universidade de Aveiro (Portugal) e Aguacircia Aquaculture Company (Portugal), conclui que os bacteriófagos são uma eficiente alternativa ao uso de antibióticos em aquacultura.


Use of natural bacteriophages, which do not affect the health of fish or that of consumers, becomes an interesting alternative to the use of antibiotics. Different research projects had obtained very promising results at laboratory level, but before being able to use bacteriophages at an industrial level, it was necessary to know about the impact of their use on the environment and the marine ecology.


The results obtained during 2017 show that the bacteria community of the intestinal tract of the fish is not significantly affected following treatment with the selected phages. It has also been shown that this treatment does not modify the marine bacteria population in the tanks on the fish farm or in the river where the fish farm is located, so it has zero impact or very limited impact on the bacterial ecology. 

Cientistas em terra queimada

Depois dos incêndios, cresce a preocupação com a chuva e a eventual contaminação das águas. Um dos projetos para travar a erosão dos solos, é do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar e do Departamento de Ambiente e Ordenamento.


http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2017-11-04-Cientistas-na-terra-queimada-de-Castanheira-de-Pera-1

Conferência de homenagem ao Professor Mário Ruivo

A Universidade do Algarve organiza conferência (13 e 14 de novembro) de homenagem ao Professor Mário Ruivo. Pretende-se, desta forma, evocar o contributo deste biólogo marinho, doutor honoris causa pela UAlg, para o desenvolvimento das ciências e das tecnologias marinhas, com impactos notáveis a nível nacional e internacional.


Adotando um dos lemas do Professor Mário Ruivo, a conferência tem como mote o “Desenvolvimento sustentável dos oceanos: uma utopia útil”.


https://www.ualg.pt/pt/content/conferencia-homenagem-ao-professor-mario-ruivo


Pelo CESAM participam neste evento: Adelaide Almeida, Ana Lillebo, Catarina Eira, Cristina Pita e Luís Menezes Pinheiro.

José Alves (DBIO/CESAM) nomeado para um dos comités da British Ornithologist’s Union

27/10/2017

O investigador do Dep. de Biologia e CESAM, José Alves, foi nomeado para um dos comités da British Ornithologist’s Union, uma organização com com mais de 150 anos cujo lema é “Advancing Ornithology” e que publica uma das mais prestigidas revistas internacionais na área da ornitologia, a IBIS, na qual o investigador é também Editor Associado.

No seu papel como membro do comité organizador das conferências da BOU, José Alves irá participar na definição dos temas prioritários a apresentar e divulgar no que diz respeito aos estudos da ecologia, evolução e conservação de aves a nível mundial.

As conferências da BOU sao temáticas e essa caraterística permite produzir resultados efectivos com recomendações práticas tanto para investigadores, conservacionistas e organizações governamentais. Em 2018 a conferência anual irá decorrer nos dias 27-28 de Março sobre o tema: “21st century ornithology: challenges, opportunities and decisions”. Estas conferências oferecem condições muito apelatias à participação de jovens investigadores, com descontos especiais, workshops dedicados (por exemplo em “presentation skills” ou “social media presence”) e a possibilidade de apresentar o seu trabalho mesmo que não se enquandre no tema da conferência. Já no final de Novembro a BOU organiza a primeira conferência geral de ornitologia no Twitter - uma oportunidade para ficar a conhecer os mais recentes trabalhos nesta área a custos muito reduzidos tanto financeiros como ecológicos #BOU17TC

Projeto FOREST-IN promove evento sobre gestão florestal sustentável e BioFORUM 2017

17/10/2017

O projeto FOREST-IN, coordenado pelo DBio e CESAM, organiza o evento internacional "Da teoria à prática, mãos à obra para uma gestão florestal sustentável", de 24 a 27 de outubro, e dirigido maioritariamente a pequenos proprietários e produtores florestais. O programa inclui um conjunto de visitas técnicas a diversos locais da região centro para demonstração de boas práticas de gestão florestal. No último dia do programa, decorre o BioFORUM 2017, no Centro Cultural da Branca, Albergaria-a-Velha, aberto ao público em geral.

Mais informação: http://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?c=52108

Equipa do DAO/CESAM participa em estação-piloto para minimizar a erosão dos solos em áreas ardidas

6/10/2017

Uma equipa do DAO/CESAM, coordenada pelo investigador Jacob Keizer, está envolvida na criação de uma estação-piloto em Castanheira de Pêra para estudar técnicas que minimizem a erosão dos solos em zonas afetadas por grandes incêndios. As técnicas que estão a ser demonstradas propõem que os solos mais atingidos pelos incêndios sejam cobertos por caruma ou por resíduos florestais triturados, e/ou que se criem barreiras para travar a erosão. Jacob Keizer refere que estas medidas são importantes para não se perder solo e nutrientes em encostas onde é necessário assegurar a produtividade a longo prazo, mas também para evitar que esse material seja transportado para os habitats aquáticos a jusante. Esta estação-piloto é um primeiro passo das medidas de emergência pós-incêndio e do pacote financeiro de 25 M€ lançado pelo Governo para a estabilização dos solos da área afetada pelo grande incêndio de Pedrógão Grande. Neste projeto estão envolvidas, para além do Governo e das autarquias e organizações locais, quatro universidades.


Reportagem em: https://www.rtp.pt/noticias/pais/travar-erosao-dos-solos-apos-os-incendios_v1031922

Nanomateriais e Microplásticos no Ambiente - alerta sobre necessidade de novos métodos de avaliação

2/10/2017

Mónica Amorim, investigadora do DBio e CESAM, pertencente ao grupo de investigação de ecologia e ecotoxicologia aplicada – applEE, coordenado por Amadeu Soares, também diretor do DBio, é coautora de um artigo publicado na prestigiada revista "Nano Today" (5Y-IF: 19.2): “Nanomaterials to microplastics: Swings and roundabouts”.

Os riscos associados a novos produtos são avaliados antes da sua entrada no mercado. No entanto, as consequências a longo prazo são incertas no que diz respeito aos produtos provenientes da degradação durante o uso, eliminação em estações de tratamento de resíduos, ou quando abandonados na natureza, podendo libertar microplásticos e nanomateriais. É, portanto, imperioso avaliar os efeitos a longo prazo de plásticos e outros materiais.

Mais informação:
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1748013217303511
     
http://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?c=51948

UA participa em projeto do Governo para proteger os solos ardidos do Pinhal Interior

26/09/2017

A "Estabilização de emergência” das áreas destruídas pelo fogo vai arrancar e o plano será gerido pelas autarquias de acordo com métodos definidos por quatro universidades. Neste grupo, encontra-se uma equipa da UA, coordenada pelo investigador Jacob Keizer, do DAO e CESAM, que propõe que os solos mais atingidos sejam cobertos por caruma ou por resíduos florestais triturados, prevenindo a erosão do solo.

No dia 22 de setembro na sessão de demonstração organizada pelo ICNF, Jacob Keizer apresentou alguns dos critérios necessários à escolha das áreas onde devem ser aplicadas medidas de estabilização de emergência, bem como as parcelas de monitorização geridas pela UA para avaliar a efetividade de duas medidas de estabilização de emergência para encostas.

Mais informação em: http://uaonline.ua.pt/pub/deta.....mp;c=51891